uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Estudar sem que isso interfira com o exercício de uma profissão

Mestrado em Educação e Comunicação Multimédia da ESES
Edição de 23.05.2012 | Economia
O Mestrado em Educação e Comunicação Multimédia da Escola Superior de Educação de Santarém nasceu em 2008 e de então para cá tem evoluído de forma constante, através da melhoria das componentes científica e técnica; do reforço da ligação ao mundo do trabalho e da criação de mais e melhores condições de trabalho aos mestrandos.O estabelecimento de parcerias com empresas de renome na área das novas tecnologias, como a Microsoft, Y-dreams e a Viatecla e também com outras escolas e universidades é um dos pilares do sucesso do Mestrado que, recorde-se, teve que recusar alunos no ano do seu lançamento. A flexibilização de horários e a evolução para um sistema de e-learning, a par da ligação dos trabalhos a desenvolver à vida pessoal e profissional dos alunos, é outro factor a ter em conta, dado que a maioria deles trabalha. “No primeiro ano os estudantes constroem o projecto do ponto de vista científico. Tentamos que eles criem o perfil indicado para poderem sair com competências para poderem acompanhar projectos desde a ideia à sua concretização”, explica a coordenadora do mestrado, professora Maria Barbas.Durante o Mestrado em Educação e Comunicação Multimédia os estudantes são orientados para concretizar um projecto que seja útil no sítio onde estão a trabalhar. Anabela Protásio, uma das mestrandas que esteve numa sessão de apresentação do Mestrado à Comunicação Social e autarquias da região trabalha na Câmara Municipal da Chamusca e desenvolveu um projecto relacionado com ferramentas da web. O objectivo é “reunir instrumentos de apoio que as pessoas podem utilizar no seu dia a dia para criar port-folios, para desenvolver páginas da internet, para partilhar as suas apresentações, os seus trabalhos, etc...”, disse. O seu trabalho deu frutos imediatos. Cerca de 60 pessoas participaram nos workshops gratuitos que ela lançou em regime de e-learning. “Os alunos sentem que o seu trabalho tem impacto na sociedade e isso é motivante”, sublinha a coordenadora. “A nível da empresa Y-dreams fomos vencedores de um projecto que se chama hiVA em que vamos construir conteúdos digitais em conjunto com a Universidade de Coimbra, o Politécnico de Leiria e a Católica do Porto. Um estudante que fez o nosso Mestrado está a fazer um doutoramento em Multimédia e Educação na Universidade de Aveiro comigo como orientadora e com a parceria da empresa Viatecla”, acrescenta Maria Barbas.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...