uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Feira Internacional da Cortiça de regresso a Coruche

Quarta edição decorre de 24 a 27 de Maio com múltiplas actividades
Edição de 23.05.2012 | Economia
As novas aplicações e a inovação da cortiça no mundo da moda e do desporto, a sua preferência entre designers e arquitectos, estão em destaque na quarta edição da FICOR f Feira Internacional da Cortiça, que afirma Coruche como capital do montado do sobro de 24 a 27 de Maio. Nos produtos em mostra em expositores, nas actividades desportivas com bolas e caiaques de cortiça, no desfile de moda com vestuário à base daquele produto, será possível comprovar as várias aplicações da matéria que nasce do montado do sobro. Promovida pelo município em parceria com as entidades da fileira da cortiça, a FICOR reúne produtores e industriais que vão negociar na “Bolsa da Cortiça” a partir do primeiro dia. Não faltam os expositores de vinhos, rolhas, produtos alimentares do montado e outros, erguidos na tenda FICOR, montada no parque do Sorraia, na zona ribeirinha da vila. No Observatório do Sobreiro e da Cortiça, na Zona Industrial do Monte da Barca, centra-se a vertente científica da feira, com programa próprio com conferências e seminários (ver caixa). Com orçamento inferior ao de 2011, por via de um programa musical mais acessível e da diminuição do apoio do Ministério da Agricultura, a FICOR afirma-se como a feira mais importante do sector. “Há uma empresa de construção da caiaques que utiliza cortiça como matéria-prima para revestimento das embarcações. Já podemos encontrar bolas de futebol certificadas feitas de cortiça, os arquitectos recorrem cada vez mais a revestimentos com este material e os designers de moda usam-no em vestidos, malas, carteiras, diversos objectos em cortiça, como vão demonstrar os modelos que vão desfilar no Coruche Fashion Cork na noite de sexta-feira”, salientou durante a apresentação do programa o presidente da autarquia, Dionísio Mendes. O autarca salientou ainda a importância do Observatório do Sobreiro e da Cortiça, onde se encontra instalada uma delegação do Centro Tecnológico da Cortiça (CETCOR), no estudo da fauna dos montados por investigadores da Universidade de Évora, entidade com a qual o município assinou protocolo. Ali também está sedeada, mais recentemente, a sede da FilCork, entidade que junta produtores e industriais. A partir de Setembro o Observatório recebe acções de formação para a produção e indústria. É no Observatório que Dionísio Mendes espera ainda ver instalados um centro de documentação e biblioteca digital sobre o montado. O projecto aguarda luz verde de financiamento comunitário da candidatura ao programa Provere para poder concretizar a instalação no prazo de um ano. Projecta-se ainda a criação de uma sobroteca, com um histórico das amostras de cortiça recolhidas nos últimos 20 anos pela Associação de Produtores Florestais de Coruche (APFC).António Gonçalves Ferreira, director da APFC, destaca a importância da plataforma de transacção da cortiça, que abre no primeiro dia da FICOR para a realização de negócios entre produtores e industriais. “Esta feira tem sido uma mais valia para produtores e industriais que têm, no local próprio, feito negócios com maior conhecimento do produto. É de salientar que a edição de 2012 conta com a presença dos principais produtores do país provenientes de Coruche, Alcácer do Sal, Ponte do Sor e Chamusca”, referiu o director da APFC. António Gonçalves Ferreira recordou ainda que a também designada bolsa da cortiça atingiu em 2011 as 500 mil arrobas transaccionadas, o que representa oito a dez por cento da produção nacional.A inauguração oficial da Ficor está marcada para as 11h00 de quinta-feira, 24 de Maio. Recorde-se que o concelho de Coruche tem uma área de 50.900 hectares de montado de sobro, da qual se extraem anualmente 8.400 toneladas de cortiça. As unidades industriais do município tornam-no ainda o maior produtor mundial de cortiça, produzindo cinco milhões de rolhas por dia.Ministra da Agricultura na parte científica da FICORO Observatório do Sobreiro e da Cortiça, na Zona Industrial do Monte da Barca, recebe uma série de conferências e debates alusivos ao montado do sobro. “Valorização Ambiental e Turística do Montado do Sobro” é o tema da conferência marcada para as 15h00, que contará com a presença da ministra da Agricultura, Assunção Cristas. É ainda inaugurada quinta-feira a exposição “Paisages Corcheras”.Sexta-feira começa com a conferência “Reinventar a Cortiça”, enquanto às 10h00 e 14h30 há visitas à unidade industrial da Corticeira Amorim.No parque do Sorraia, uma mesa redonda discute “A importância do alvará no sector agro-florestal”, a cargo da ANEFA. São estas algumas propostas do painel científico da FICOR.Música, moda, passeios e desportoO parque do Sorraia recebe a maior parte das actividades lúdicas e desportivas que complementam o programa da FICOR. O maior destaque vai para a praça da Água, às 22h00 de sexta-feira, com o 4.º Coruche Fashion Cork, um desfile de moda com vestuário de cortiça com apresentação de Cristina Alves e protagonizado por conhecidos manequins nacionais. A noite segue pela madrugada no espaço Cork by Night. Na praça da restauração actuam os Hangar 7 (21h30) no dia inaugural. Será curioso ver em acção, em diversos momentos da feira, a arte de Emmanuel Courtout a criar esculturas em madeira com uma motosserra, ou a inédita corrida de galgos na pista junto à central de camionagem no sábado (11h00). Nessa noite há concerto com Lucky Duckies e Espaço Cork by Night. No último dia da Ficor, domingo, realce para a manhã, com Troféu de motonáutica radiocontrolada (09h30).

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...