uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Falhas na recepção da televisão digital terrestre na Barquinha e Tomar

Falhas na recepção da televisão digital terrestre na Barquinha e Tomar

Moradores reclamam que compraram aparelho mas que a televisão permanece sem sinal. Alguns lamentam ter ficado sem a sua única companhia.

Edição de 23.05.2012 | Sociedade
Compraram o descodificador de televisão digital terrestre (TDT), fios novos para a antena e alguns até adquiriram uma televisão nova mas nada parece resultar. À semelhança do que acontece em Mação, os moradores de Atalaia, Vila Nova da Barquinha, e das freguesias de Alviobeira, Paialvo e Beselga, no concelho de Tomar, andam agastados com o facto de não poderem ver televisão, isto se dependerem apenas da TDT. José da Costa Rodrigues, morador de Atalaia, Vila Nova da Barquinha, explicou a O MIRANTE que o problema persiste desde 9 de Maio. “Num dia tem sinal, no outro dia não”, refere acrescentando que a situação se regista mesmo existindo um emissor a dois quilómetros em linha recta, já no concelho de Torres Novas. “Já liguei duas vezes para reclamar. Dizem-me para rodar as antenas mas não se trata disso porque, como já disse, num dia tinha conseguido ver e no outro já não. É uma vergonha”, atesta. Carlos Lourenço, que tem uma loja de ferragens nessa localidade, recebe queixas frequentes dos habitantes, uma vez que também vende receptores na sua loja. “As pessoas perguntam-me por que é que não apanham o sinal mas não posso fazer nada. Em casa também não apanho. A minha filha gosta de ver os desenhos animados e não consegue”, diz, acrescentando que aconselha todos a ligar para o apoio ao cliente. Na rua encontramos Maria Augusta Oliveira, que diz que há três ou quatro dias que é raro ver televisão. “É a nossa companhia. Gastei tanto dinheiro a mudar os fios todos e a montar a antena nova mas não tenho nada. Há dias que não apanho nada e só me apetece dar murros na televisão”, desabafa. Na freguesia da Beselga, Tomar, onde residem cerca de mil pessoas, o apagão analógico de 26 de Abril correu bem mas, nas últimas duas semanas, começaram os cortes de sinal que duram várias horas. “No domingo, 13 de Maio, queria ver a transmissão das cerimónias de Fátima mas a emissão falhou a meio. À noite já não tinha qualquer sinal e por isso não tive outro remédio senão ir a cama às 22h30”, refere uma moradora da Longra. O presidente da Junta de Freguesia da Beselga, Carlos Silva (PS), considera que a população já paga a televisão livre através da factura da electricidade pelo que “as pessoas terem que pagar mais para terem televisão é inconcebível”. Por causa desta situação, muitos populares já disseram que estão a pensar em aderir aos serviços de um operador de televisão por cabo. “Obrigá-las a aderirem à TV Cabo, pagar mais uma taxa para verem televisão, é um roubo que se está a fazer à população”, disse. A Portugal Telecom já disse que está a analisar com a Anacom a causa dos problemas, que se repetem um pouco por todo o país. O MIRANTE enviou à Anacom um pedido de esclarecimentos sobre estas duas situações mas não obteve resposta até ao fecho desta edição.
Falhas na recepção da televisão digital terrestre na Barquinha e Tomar

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...