uma parceria com o Jornal Expresso
27/07/2016
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
Assine o jornal
Põem carros à venda na internet e ficam sem eles e sem o dinheiro
Burlões identificam-se como pertencendo a stands de automóveis e usam um expediente dos bancos que não é conhecido de todas as pessoas. Fazem transferências para pagamento no multibanco que só são confirmadas dois dias depois. Como a conta não tem dinheiro suficiente os donos dos carros ficam a arder.
Edição de 22.08.2012 | Sociedade
Há um novo esquema de burla na compra de carros que são colocados à venda por particulares em sites da especialidade na Internet. No distrito de Santarém já são conhecidos dois casos, um em Santarém e outro em Torres Novas. A cada semana que passa estão a aparecer mais situações pelo país num esquema que envolve transferências bancárias no multibanco que nunca chegam a concretizar-se, por falta de saldo na conta. Os carros comprados são vendidos a terceiros no próprio dia ou no dia seguinte. O esquema que está a ser investigado pelas autoridades é simples mas na altura os donos dos carros não desconfiam da marosca. No caso de Santarém que chegou ao conhecimento da Polícia Judiciária e que está no Ministério Público de Santarém, que entretanto enviou o caso para investigação da PSP, o proprietário de um Peugeot colocou a viatura à venda em vários sites. Passado pouco tempo recebe a chamada de um alegado dono de um stand a dizer que estava interessado no negócio e combina-se um encontro para ver o veículo. No site o dono do carro indicava o valor que pretendia, sete mil euros. O burlão apresenta-se como gerente de uma empresa de comércio de automóveis e vem acompanhado por outro homem que indica como o responsável de vendas. Feito o negócio o alegado empresário pede ao dono do carro para o acompanhar ao multibanco para fazer a transferência. Depois entrega o talão da caixa automática em como deu ordem de transferência no valor combinado. Sem desconfiar, o proprietário entrega o carro e os documentos e fica com o talão da máquina. O problema é quando ao fim de três ou quatro dias descobre que o dinheiro não entrou na sua conta. Os burlões usam um expediente relacionado com as operações interbancárias que nem toda a gente conhece. Combinam os encontros ao fim da tarde, depois das 18h00, quando a ordem de transferência já não é processada nesse dia. Depois sabem que nas transferências entre bancos diferentes, como é o caso, a passagem do dinheiro de uma conta para a outra só é efectivada dois dias depois. Como a conta não tem dinheiro suficiente para fazer a operação o dono da viatura fica a arder. Entretanto já venderam o seu carro a uma terceira pessoa e receberam o dinheiro. No caso do burlado em Santarém o seu carro foi vendido no dia seguinte a outra pessoa. Um amigo do enganado chegou a ver fotografias do carro à venda no facebook, mas ninguém desconfiou da fraude até que foram ao banco saber o que se passava com a transferência. O residente em Santarém que foi apanhado no esquema ligou para o número de telemóvel do suposto dono do stand e se dúvidas ainda havia ficou com a certeza de que tinha sido enganado quando ouviu a mensagem de que o número não estava atribuído. Um dos burlões tem residência no Porto e outro numa localidade do Alentejo. Alguns carros, como o de o residente em Santarém, já foram apreendidos, mas os burlões ainda não foram detidos.
Comentários
Mais Notícias
    A carregar...