uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Trabalhadores da Unicer exigem dois salários por ano de trabalho para rescindir contrato

Edição de 02.01.2013 | Economia
Os trabalhadores do Centro de Produção de Santarém (CPS) da cervejeira Unicer que venham a ser despedidos em Março de 2013 - como foi anunciado pela administração da empresa em 15 de Junho de 2012, numa medida que abrange 133 pessoas - exigem receber indemnizações de dois salários por cada ano de trabalho. Da reunião solicitada pelos trabalhadores e com a presença do Sintab - Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura, das Bebidas e dos Tabacos de Portugal e Comissão de Trabalhadores - ficou ainda definido em acta que os trabalhadores querem ser compensados com dois anos de seguro de saúde e dois anos de consumo gratuito de produtos da empresa, caso haja rescisão de contratos pela empresa. Para os trabalhadores que se mantenham em Santarém, exige-se que não se reduzam salários a quem mudar de funções. Defende-se ainda que deve ser esclarecido que funções vão ter 33 trabalhadores que fazem parte de 42 que integram a equipa volante. Para quem não aceitar a redução de ordenado, e caso haja lugar a rescisão, defende-se ainda que devem ser dadas as mesmas condições que a quem decide rescindir contrato: dois salários por ano, dois anos de seguro de saúde e dois anos de consumo gratuito após cessar o vínculo.Da reunião de trabalhadores e sindicatos saiu ainda a exigência de que, nos dois anos seguintes a Março de 2013, quem vier a rescindir com a Unicer deve contar com as mesmas condições de rescisão e não redução de salários.Na altura do anúncio do encerramento do centro de produção em Santarém foi colocada a hipótese de os trabalhadores que o desejem serem colocados na unidade da empresa em Leça do Balio, próximo do Porto. Os trabalhadores querem saber que funções vão desempenhar em Leça, qual a melhoria de condições para quem escolher essa opção, e exigem que o período de adaptação a essa mudança seja aumentado de três para seis meses. Em caso de rescisão, esse subsídio não deve ser reposto pelos trabalhadores e devem ser garantidas as restantes condições já explanadas para outros casos. Do rol de exigências dos trabalhadores faz ainda parte o aviso prévio de, no mínimo 30 dias, para a mudança dos colaboradores da unidade de Santarém para Leça do Balio e a atribuição de cinco dias úteis de férias em vez de três para se efectivar essa mudança. Para esses trabalhadores quer-se ainda descontos nos transportes, esclarecimento sobre a existência de habitações sociais em Matosinhos e eventuais obras necessárias nas habitações mencionadas com responsabilização da Unicer. Nova reunião entre trabalhadores e administração foi marcada para 22 de Janeiro.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...