uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Desaustinado Serafim das Neves

Edição de 09.01.2013 | E-mails do outro mundo
Tenho ouvido umas coisas sobre freguesias que desaparecem ou que são engolidas por outras e ando preocupadinho de todo. Afinal não aconteceu o fim do mundo mas pelos vistos há fenómenos estranhos por explicar. Como é que se faz desaparecer uma freguesia? Por muito pequena que seja uma freguesia ainda pesa umas boas arrobas e na maioria delas cabem lá à vontade vários campos de futebol. Já para não dizer que em algumas ainda vivem pessoas. Poucas mas vivem. E já imaginaste o espectáculo de uma freguesia a ser engolida por outra? Deve ser algo dantesco. Quando era mais novo ouvi falar de uma tal garganta funda mas não consigo imaginar garganta nenhuma que consiga deglutir uma coisa assim tão grande. E acreditas que foi a tal Tróika que ordenou este desaforo da deglutição de freguesias com fregueses e tudo? Os presidentes das juntas de freguesias que vão desaparecer ou ser engolidas andam numa roda viva pelos tribunais para ver se salvam alguma coisa. É vê-los aflitinhos de todo.Eu ontem até fui verificar se a minha freguesia ainda existia. Dei uma volta e pareceu-me tudo no sítio mas nunca se sabe. Ainda por cima é ano de eleições autárquicas. Se desaparecem freguesias também desaparecem autarcas. Isto é como uma pescadinha de rabo na boca. E com menos autarcas em ano de eleições autárquicas a democracia enfraquece e o negócio dos materiais de propaganda eleitoral vai-se abaixo. Há uns bons trinta anos fui à junta de freguesia buscar um atestado. Não me lembro para que era o atestado mas sei que era coisa importante. Em papel azul e tudo. Se a minha freguesia desaparece e eu volto a precisar de um atestado o que faço?Sinto que esta coisa da crise nos leva de volta às origens para felicidade dos saudosistas. Um dia destes li a notícia do homem de Alpiarça que matou o irmão de 78 anos à paulada por causa de um terreno. Agora só falta o tal Salazar de que fala o meu avô para voltarmos a ser felizes. Com o preço da electricidade a aumentar talvez regressem as candeias de azeite e os candeeiros a petróleo. Este Natal ofereci um cântaro à mulher para ela ir buscar água à fonte. Espero que o presidente da junta mande reconstruir o antigo fontanário. E prepara-te para mudar dos e-mails do outro mundo para as cartas da nossa aldeia.Um outro sinal de que a tradição ainda é o que era é o das facturas simplificadas. A meio de 2012 já toda a gente sabia que entravam em vigor em Janeiro deste ano mas ninguém ligou nenhuma e agora não há facturas simplificadas para ninguém. Enfim...mas cabe na cabeça de alguém que o Governo não tenha alargado o prazo por mais um ano ou dois, para os comerciantes terem tempo de comprar ou actualizar as máquinas registadoras?! É por estas e por outras que este Governo não vai longe Serafim. Em Santarém descobriram, ao fim de quatro anos, que a rotunda do bairro de S. Domingos está mal feita. A descoberta foi feita por um eleito do CDS-PP a quem daqui envio felicitações. O Moita Flores que foi presidente da câmara tantos anos não conseguiu tal feito e olha que ele era detective reformado e andava sempre a gabar-se de ter umas vistas largas. Enfim...se calhar andava a olhar para outras... rotundas.Despeço-me aqui porque está um grupo à porta a cantar-me os Reis. Já lhes perdi a conta esta noite. Primeiro foram os reiseiros da Associação de Antigos Beneficiários do Rendimento Mínimo, a seguir o Grupo Informal dos Amigos do Pó e os Cantadores da Rosca. Pelo meio anda apareceu a Federação Local dos Automobilistas sem estacionamento e pelo que percebo agora vou ouvir os trauteadores da Associação de Amigos dos Cães Hipertensos. Aaaaauuuuu!!!!!Saudações bem ganidas Manuel Serra d’Aire

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...