uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Idoso de 86 anos julgado por resistir a detenção pela polícia

Tribunal de Santarém ordenou uma avaliação psiquiátrica do homem que está preso por bater na mulher

O homem que foi condenado a pena de prisão suspensa de dois anos por agredir a esposa acabou na prisão por não ter cumprido as medidas definidas pelo juiz para evitar que fosse para a cadeia. Quando a polícia o foi buscar a casa atacou os agentes com uma barra de ferro, deu-lhes murros e pontapés e tentou morder-lhes.

Edição de 16.01.2013 | Sociedade
O idoso de 86 anos que costumava andar pela cidade de Santarém a vender flores e fruta às portas está a ser julgado por tentar agredir os agentes da PSP que o foram deter para cumprir prisão por um processo de 2007 em que foi condenado por violência doméstica. Perante a resistência, os polícias tiveram que usar gás pimenta para neutralizar o idoso. Na primeira sessão do julgamento, o juiz determinou que fosse feita uma avaliação psiquiátrica a Cipriano Botas através do Instituto de Medicina Legal.O idoso está a cumprir dois anos de prisão que se completam em Outubro deste ano. Cipriano Botas tinha sido condenado em pena de prisão suspensa por agredir a esposa, mas a medida de suspensão foi revogada porque este não cumpriu as obrigações definidas pelo tribunal para não ir para a cadeia, como pagar uma indemnização de 1500 euros à mulher no prazo de três meses e apresentar-se no serviço de psiquiatria do Hospital de Santarém “a fim de ser submetido a tratamento adequado ao seu estado psicológico”, medidas que nunca cumpriu. O tribunal ainda lhe deu uma hipótese de se explicar antes de ir para a prisão, mas este notificado para ir a tribunal nunca compareceu perante o juiz.Ordenada a detenção pelo juiz para ser conduzido ao Estabelecimento Prisional de Caldas da Rainha, três polícias da esquadra de Santarém foram a sua casa nas Escadinhas das Figueiras, no dia 11 de Julho de 2011. O idoso, que na altura tinha 85 anos, recusou-se a abrir a porta e disse aos agentes para desaparecerem, segundo a acusação do Ministério Público. Os polícias acabaram por entrar na habitação e Cipriano foi direito a eles com uma barra de ferro mas não conseguiu atingi-los.Depois de dominarem o idoso e retirarem-lhe a barra de ferro, os polícias ao tentarem detê-lo foram agredidos a murro e pontapé. Cipriano, segundo a acusação, ainda tentou morder-lhes enquanto gritava que lhes dava um tiro. “Devido à reacção do arguido os agentes tiveram de utilizar gás pimenta para proceder à sua detenção em segurança”, refere.O idoso, que é identificado pelo Ministério Público como acordeonista de profissão, e que era conhecido na cidade por andar nos cafés e pelas ruas com sacos de fruta e flores abordando os transeuntes para comprar os produtos, responde por um crime de resistência e coacção sobre funcionário, que é punido com pena de prisão até cinco anos.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...