uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Ricardo Cunha

Ricardo Cunha

31 anos, empresário construção civil, Almoster (Santarém)

“A primeira coisa que reparo numa mulher é na boca, depois é no rabo (risos). Claro que o mais importante é o interior de qualquer pessoa mas quando vimos uma mulher, o que observamos é a parte física por isso temos que reparar quais são os seus melhores atributos (risos).”* * *“Este governo está a tirar-nos todos os nossos direitos e o do acesso à saúde é dos mais importantes. As pessoas ganham pouco, precisam de ir ao médico e ainda têm que pagar para terem direito a um médico. Qualquer dia compensa mais irmos ao médico privado do que ao público”* * *“Quando faço refeições no restaurante ou outras despesas para a empresa peço sempre factura. Já antes de ser obrigatório pedia. Mas quando bebo um café, uma cerveja ou compro uma pastilha não peço, não faz qualquer sentido. Nem tudo o que é obrigatório nós fazemos”

Edição de 23.01.2013 | Agora falo eu
Aguentamos ainda mais medidas de austeridade, como se ouve falar na comunicação social?Mais ainda?! Claro que não aguentamos mais medidas de austeridade. Os portugueses estão completamente sufocados com as medidas já implementadas. Há pessoas a passar fome e sem casa, que há dois ou três anos viviam confortavelmente. Se vierem novas medidas, o que vai acontecer é que a fuga aos impostos vai continuar a aumentar e o Estado não vai conseguir diminuir a dívida. Não se pode reformular o Estado de um dia para o outro.Já pensou emigrar?Se isto não se modificar, dentro de alguns anos terei que ir para fora e emigrar novamente. Já vivi quase seis anos em Espanha, onde havia muito trabalho na construção civil, mas regressei quando o mercado estagnou, quando rebentou a crise. Aqui a vida é mais calma mas se os negócios se complicarem vou ter que pensar em emigrar novamente. Só não sei para onde, porque em Espanha as coisas estão tão más como em Portugal.Costuma pedir facturas que são obrigatórias desde o início deste ano?Quando faço refeições no restaurante ou outras despesas para a empresa peço sempre. Já antes de ser obrigatório pedia. Mas quando bebo um café, uma cerveja ou compro uma pastilha não peço, não faz qualquer sentido. Nem tudo o que é obrigatório nós fazemos (risos).Concorda com o casamento entre pessoas do mesmo sexo?Concordo. Acho que qualquer pessoa é livre de amar, independentemente do sexo. As vontades de cada um devem ser respeitadas. Não é por alguém gostar de outra do mesmo sexo que deve ser descriminado. Os direitos têm que ser iguais para todos. O aumento previsto nas taxas moderadoras na saúde vai prejudicar o acesso aos cuidados médicos?Como disse um governante da nossa praça recentemente, não podemos ficar doentes senão estamos tramados (risos). Este governo está a tirar-nos todos os nossos direitos e o do acesso à saúde é dos mais importantes. As pessoas ganham pouco, precisam de ir ao médico e ainda têm que pagar para terem direito a um médico. Qualquer dia compensa mais irmos ao médico privado do que ao público.O que faz falta na sua terra?Um centro comercial (risos)! Apesar de pequena e rural a minha terra tem tudo, só lhe falta um shopping para eu não ter que sair de lá quando preciso de ir às compras.Quem vai ser o próximo campeão nacional de futebol?Espero que seja o Benfica! Está a jogar muito bem e está forte. Já está há muitos anos sem ser campeão e este ano merecemos ganhar. Só tenho pena que o Sporting esteja tão mau porque falta ao campeonato nacional a disputa entre os três grandes. O Sporting este ano está muito mal.Os padres deviam poder casar?Acho que não. Se escolhem a vida sacerdotal é porque estão preparados para viverem a vida em celibato. Na vida temos que fazer escolhas e quem escolhe ser padre já sabe que tem que viver em celibato, tem que cumprir a sua ‘missão’. Por isso é que muitos desistem da vida de padre porque não é fácil.Qual é a primeira coisa em que repara numa mulher?A primeira coisa que reparo numa mulher é na boca, depois é no rabo (risos). Claro que o mais importante é o interior de qualquer pessoa mas, quando vimos uma mulher, o que observamos é a parte física por isso temos que reparar quais são os seus melhores atributos (risos).
Ricardo Cunha

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...