uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Treze ex-dirigentes da União Rio Maior em tribunal por dívidas ao fisco

Assembleia geral marcada para 9 de Fevereiro para reactivar clube
Edição de 30.01.2013 | Desporto
Treze antigos dirigentes da União Desportiva de Rio Maior (UDRM) estão arrolados como réus num processo a decorrer no Tribunal Administrativo e Fiscal de Leiria por causa de uma dívida ao fisco na ordem dos 62 mil euros contraída por anteriores órgãos sociais. O clube cessou a actividade em Setembro de 2010, após uma longa agonia, mas um grupo de ex-dirigentes quer agora ressuscitar a colectividade. A questão da dívida ao fisco deve fazer parte do debate na assembleia geral marcada para dia 9 de Fevereiro onde se pretende eleger novos corpos sociais. A sessão está marcada para as 14h00, na Biblioteca Municipal de Rio Maior. Quanto ao processo no Tribunal Administrativo, um dos signatários da convocatória da assembleia geral, João Narciso, diz que ainda não houve nenhuma audiência e que os réus estão a tentar contrariar a argumentação da acusação. Dos 27 ex-dirigentes inicialmente arrolados, neste momento só já 13 estão a contas com a justiça, acrescentando que as dívidas foram contraídas por direcções anteriores à última comissão administrativa e que não contribuiu em nada para onerar o fisco.João Narciso foi na sexta-feira à reunião do executivo da Câmara de Rio Maior tentar sensibilizar a vereação para os problemas do clube. Uma das saídas para a problemática situação é a de passar para a posse da UDRM a sua sede social, que está registada em nome do município. Esse património permitiria “dar continuidade à vida clube” e daria outras garantias para negociar com o fisco o pagamento da dívida. Mas para isso é necessário primeiro eleger novos corpos sociais.A presidente da Câmara de Rio Maior, Isaura Morais (PSD), reconhece que o processo é complexo, referindo que o imóvel onde está a sede da UDRM foi doada e registada em nome do município, garantindo que a câmara está a estudar as bases legais que possibilitem a cedência desse património para o clube. “A autarquia está do lado da solução e estará sempre ao lado desta gente que deu durante tantos anos a cara pela União Desportiva de Rio Maior”, referiu a O MIRANTE.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...