Autárquicas 2013 | 02-10-2013 14:40

PS conquista bastião comunista da Chamusca

PS conquista bastião comunista da Chamusca
“Hoje aconteceu história no concelho da Chamusca. A partir de agora as pessoas podem acreditar no futuro. Na Chamusca começa agora”. Foi com estas palavras que o novo presidente da câmara, Paulo Queimado (PS), explicou a vitória histórica de domingo num território há mais de três décadas dominado pela CDU.Uma hora antes de se conhecer o resultado das votações, o ambiente na sede do PS era de ansiedade. Os dados que chegavam via telemóvel iam sendo actualizados. À medida que o tempo passava a tensão aumentava. Uma explosão de alegria surgiu quando veio a confirmação oficial da vitória de Paulo Queimado. O PS obteve 74 votos a mais que a CDU. “Finalmente conseguimos destronar a família comunista”, grita um apoiante do PS, referindo-se aos mais de 30 anos de governação da CDU.O momento alto da festa socialista foi quando Paulo Queimado se juntou às dezenas de apoiantes que se concentraram na sede do PS. O vencedor esteve reunido com o seu núcleo duro e só se juntou à festa, curiosamente bastante comedida, quando a sua vitória já estava confirmada. Foi preciso esperar até à última para cantar vitória. A chuva impediu uma festa mais forte, mas o novo presidente da Câmara da Chamusca também apostava na contenção. “O momento do país e do poder local não está para grandes festas”, dizia. Mas os apoiantes gritavam e levantavam os braços em sinal de vitória. “Custou mas conseguimos”, foi a frase que mais se ouviu entre os apoiantes socialistas.“Foi uma vitória do trabalho e da preocupação em fazer acreditar que a nossa preocupação são as pessoas. Por isso a nossa vitória deve-se à população, que compreendeu a nossa vontade. Hoje é um dia emocionante, mas também um dia de esperança em conseguirmos melhores dias para o concelho”, declarou entusiasmado Paulo Queimado. Quanto à conquista do “bastião comunista” na região, Paulo Queimado garantiu mais uma vez que foi uma vitória da democracia. “As pessoas pensaram nos seus interesses e votaram em consciência. Vamos ter um trabalho duro pela frente. Vamos ter que dar tudo o que temos porque a conjuntura não é nada favorável para o poder local”.A alegria e entusiasmo dos socialistas contrastavam com o desânimo dos comunistas que na sua sede, a apenas 500 metros de distância, acompanhavam o desenrolar dos acontecimentos. A sede estava fechada e não havia ninguém nas redondezas. O mesmo acontecia na sede do PSD. O PS conseguiu 33,40 por cento dos votos e elege também Cláudia Moreira para a vereação. A CDU teve 32,02 por cento dos votos e elegeu Francisco Matias e Manuela Marques. O PSD/CDS, com 25,60 por cento, conseguiu eleger Aurelina Rufino. Nas freguesias, Rui Martinho do PSD/CDS venceu na União de Freguesias da Chamusca e Pinheiro Grande. A CDU conquistou Ulme ao PS, elegendo António Peixinho. O PS venceu na Carregueira com Joel Marques, em Vale de Cavalos com José Trindade e na União de Freguesias da Parreira/Chouto com Bruno Oliveira.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo