uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Atleta da Escola de Triatlo de Torres Novas sagra-se campeão do mundo de Biatle

Atleta da Escola de Triatlo de Torres Novas sagra-se campeão do mundo de Biatle

Julian Espinosa foi o vencedor e o seu companheiro de equipa José Pedro Vieira foi segundo

A Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas, conseguiu um feito histórico para o desporto português e principalmente para o torrejano ao ter nos seus quadros o Campeão do Mundo, Julian Espinoza e o Vice-Campeão do Mundo, José Pedro Vieira, ambos no escalão de infantis de Biatle.

Edição de 09.10.2013 | Desporto
A Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas, após sagrar-se campeã nacional de triatlo de equipas jovem 2013 e de ter sido nomeada pela Federação Portuguesa de Triatlo para a Gala do Desporto, distinguindo o trabalho dos agentes e atletas da escola, reconhecendo ainda de forma especial, o trabalho desenvolvido no âmbito do triatlo jovem e na formação de atletas. O clube conseguiu agora mais um feito histórico para o desporto português e principalmente para os torrejanos ao ter nos seus quadros o Campeão do Mundo, Julian Espinoza e o Vice-Campeão do Mundo, José Pedro Vieira, ambos no escalão de infantis de Biatle. A escola torrejana esteve ainda representada pelo atleta Ricardo Batista que alcançou na final o 12º lugar no escalão de Iniciados e o João Vieira que participou na meia final no escalão de juvenis.Os objectivos traçados pelo treinador Paulo Antunes, na véspera da partida para Limassol - Chipre, onde se realizou a prova, foram totalmente concretizados. Paulo Antunes, que é o fundador e treinador principal da Escola de Triatlo do Clube de Natação de Torres Novas, disse a O MIRANTE, que acreditava piamente que pelo menos “o Julian e o José Pedro podem trazer medalhas para Portugal. Ambos já mostraram que são dos melhores do mundo, o José Pedro é campeão da Europa e o Julian só não o foi porque ainda não têm a nacionalidade portuguesa”. Na altura os quatro jovens que foram ao Mundial de Biatle também não escondiam a sua vontade de vencer. Apesar da sua juventude, garantiam que iam mostrar o seu valor, e Julian e José Pedro, mostravam grande confiança. Ricardo Batista e João Vieira, eram mais modestos mas garantiam que o seu empenho ia ser total.Agora, Paulo Antunes salienta que este mundial foi extremamente positivo. “Foi feita história quer no clube quer em Torres Novas. Estes resultados reflectem toda uma filosofia de trabalho que tem vindo a ser implementada e aplicada em prol do Triatlo em Torres Novas. Foi sem dúvida um grande feito, de toda a equipa, que é composta por um excelente grupo que partilha valores como, humildade, fair play, espírito de sacrifício e camaradagem”, disse com entusiasmo.“Esta participação no Campeonato do Mundo foi possível pelos excelentes resultados alcançados no Campeonato da Europa disputado, em Junho, em Setúbal, mas só o apoio dos pais e de algumas empresas a tornaram possível. A Federação Portuguesa de Pentatlo Moderno, a entidade que superintende a modalidade, está a fazer um esforço enorme para divulgar a modalidade em Portugal, mas não tem condições para grandes apoios a nível internacional para os atletas, que assim têm que arranjar verbas para as suas deslocações”, lamentou Paulo Antunes. Julian Espinoza, um costa-riquenho que quer ser português O campeão do Mundo, Julian Espinoza, tem apenas 12 anos de idade, reside no Entroncamento e estuda em Torres Novas, chegou a Portugal em 2011, vindo da Costa Rica com os seus pais, a mãe é médica, presta serviço no Entroncamento e em Torres Novas, ingressou na Escola de Triatlo de Torres Novas nesse mesmo ano. Apesar de nunca ter praticado triatlo cedo demonstrou grande aptidão e muita vontade de aprender para evoluir.No dia anterior à partida para Limassol, disse a O MIRANTE que gostava de ficar em Portugal. “A minha mãe é médica e acaba o contrato para o ano, não sei o que vai ser depois. Mas o que eu queria era ser português. Já tenho aqui os meus amigos e estou totalmente integrado”, disse a sorrir.Julian é também um excelente aluno. “Ao princípio tive algumas dificuldades principalmente com a fala, a língua portuguesa é difícil, mas consegui ultrapassar isso tudo e consigo tirar boas notas em todas as disciplinas, e também no desporto sou um atleta aplicado e gostava de vir a vestir a camisola de Portugal”, afirmou o jovem atleta, que é filho do treinador da equipa de triatlo do Núcleo Sportinguista da Golegã. José Pedro Vieira quer continuar a evoluirO vice-campeão José Pedro Vieira tem também 12 anos, reside e estuda em Torres Novas, é um jovem praticante de triatlo com muito talento, no seu escalão é um dos melhores portugueses da actualidade. Tem vindo a ter uma evolução extraordinária e tem demonstrado uma enorme regularidade em competição.Apesar do triatlo ser a sua modalidade preferida, também se entrega de corpo e alma ao biatle. “Quero evoluir cada vez mais. Quero vencer o Julian”, disse em tom de brincadeira. Mas garante que os estudos estão primeiro. “Sou um aluno normal, tenho passado sempre e com boas notas”, garantiu.“Gosto mais do triatlo, porque também as minhas modalidades preferidas são a natação e o ciclismo, não gosto muito de correr, e no biatle a maior parte é corrida a pé. De qualquer modo sei o que quero e a minha ambição não tem limites, quero ser um dos melhores do mundo”, garantiu.João Vieira esteve lesionado durante muito tempo, está agora numa fase de recuperação de forma. É também um bom estudante e um bom atleta. Ricardo Batista também compete num escalão mais elevado e onde as dificuldades são maiores. “Os estudos estão sempre na primeira linha, mas o desporto e o triatlo são uma paixão que não quero perder”, garantiu.
Atleta da Escola de Triatlo de Torres Novas sagra-se campeão do mundo de Biatle

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...