uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Casa cheia na tomada de posse dos novos eleitos do Sardoal

Casa cheia na tomada de posse dos novos eleitos do Sardoal

Cerimónia esgotou Auditório do Centro Cultural Gil Vicente
Edição de 16.10.2013 | Política
O novo presidente da Câmara do Sardoal, António Miguel Borges (PSD), garantiu que os próximos quatro anos serão pautados pela “verdade, transparência, rigor, trabalho e honestidade”, princípios dos quais diz não abdicar. O autarca agora eleito não esqueceu, no seu discurso de tomada de posse, a importância de um bom entendimento e da pluralidade e diversidade de pensamentos entre todas as forças políticas com assento nos órgãos autárquicos do concelho, bem como a importância de políticas de proximidade e de intermunicipalismo. A cerimónia formal de tomada de posse teve lugar no Auditório do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal, na noite de quarta-feira, 9 de Outubro. A plateia com capacidade para duas centenas de pessoas esgotou e muitos não abdicaram de assistir de pé ao momento da tomada de posse do novo executivo camarário composto por António Miguel Borges (PSD), Jorge Gaspar (PSD), Pedro Rosa (PSD), Fernando Vasco (PS) e Rui Serras (GIS).Na assistência, para além de Fernando Moleirinho, que durante 20 anos assumiu os comandos do município, dos presidentes de junta, elementos da assembleia municipal e outros cidadãos estiveram também outros ilustres do PSD no distrito, caso de Saldanha Rocha, presidente cessante da Câmara Municipal de Mação, e Vasco Estrela, eleito nestas autárquicas para a presidência da Câmara de Mação. “Temos consciência que a execução de uma grande parte das nossas propostas não dependem somente de nós, a comparticipação comunitária do próximo quadro Europa 2020 será fundamental para as nossas aspirações”, referiu António Miguel Borges não esquecendo a importância do Sardoal se afirmar “de forma sustentada no contexto regional” aproveitando o que o concelho tem que o possa distinguir dos restantes municípios.“Estamos conscientes da necessidade urgente de conclusão da revisão do Plano Director Municipal (PDM) e do que de nós depender tudo faremos para a sua rápida conclusão”, assegurou, relevando também a importância do desenvolvimento económico como elemento fundamental para a criação de emprego e para a fixação e aumento da população.A acção social e saúde são outra das preocupações do autarca. António Miguel Borges reforçou ainda a importância do associativismo, das instituições de solidariedade social e do agrupamento de escolas, elementos que considera fundamentais “no desenvolvimento e bem-estar de uma sociedade que se quer moderna, justa, culta e solidária”.Primeira sessão da assembleia municipalA cerimónia prosseguiu com a eleição do presidente, 1.º e 2.º secretários da Assembleia Municipal do Sardoal. Miguel Alves foi reeleito para a presidência, Alcina Almeida e Mónica Serras ocupam os cargos de 1ª e 2ª secretárias, respectivamente.Excepção à Lei da Paridade permite executivo só com homensCenário cada vez mais raro nos dias que correm, o executivo camarário do Sardoal é composto exclusivamente por homens. A chamada Lei da Paridade estabelece que as listas de candidaturas à Assembleia da República, ao Parlamento Europeu e às autarquias locais devem ter uma representação mínima de 33,3% de cada um dos sexos e não podem conter mais de dois candidatos do mesmo sexo colocados consecutivamente na ordenação da lista. Só que a lei prevê excepções para as freguesias com 750 ou menos eleitores e municípios com 7500 ou menos eleitores. O que permitiu que o PSD, partido que conquistou a Câmara do Sardoal com maioria absoluta, apresentasse só homens nos três primeiros lugares da lista, que foram eleitos e agora tomaram posse. A primeira mulher só aparecia no quarto lugar da lista e não foi eleita.
Casa cheia na tomada de posse dos novos eleitos do Sardoal

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...