uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Rui Medinas tem maioria relativa mas não vai distribuir pelouros pela oposição

Autarcas da Câmara da Golegã já tomaram posse. Anterior presidente da câmara, Veiga Maltez, foi eleito presidente da assembleia municipal.

Edição de 16.10.2013 | Política
O novo presidente da Câmara da Golegã, Rui Medinas (PS), prometeu na tomada de posse que não abdicará em momento algum dos seus desígnios, garantindo que vai trabalhar e dialogar com todos os restantes eleitos numa colaboração que deseja “estreita e que coloque sempre em primeiro lugar os interesses das pessoas do concelho”. Mas, apesar de ter apenas maioria relativa no executivo, não vai dar pelouros à oposição. “Não vou atribuir pelouros aos membros da oposição. Vou aproveitar os recursos humanos existentes na autarquia, de cujo valor não se pode nem deve desconfiar”, justificou.A cerimónia, com uma assistência que lotou o salão nobre da Câmara Municipal da Golegã, decorreu na tarde de sexta-feira, 11 de Outubro. O novo executivo municipal da Golegã é composto por Rui Medinas (PS), presidente, Rui Cunha (PS), Nair Henriques da Luz (GAP), António Pires Cardoso (GAP) e José António Lopes (PSD). No seu discurso, Rui Medinas lembrou o compromisso que assumiu com todos os habitantes do concelho, garantindo que vai preservar a identidade e valorizar o património histórico, elegendo como grande prioridade o desenvolvimento económico e social, promovendo o emprego e o bem-estar das pessoas e o turismo. Rui Medinas prometeu ainda voltar a delegar competências nas juntas de freguesia, dedicar especial atenção aos jovens do concelho em todas as vertentes, concretizando medidas inovadoras “como bolsas de estudo para estudos pós-graduados, em Portugal e no estrangeiro, ou ainda o fundo ‘Golegã, Jovem Empreende’”, disse garantindo ainda que vai aprofundar a rede social existente.O presidente disse acreditar que vai ter a colaboração da oposição, mas tendo em conta o que se passou a seguir, Rui Medinas, que não tem maioria no executivo, não vai ter uma tarefa fácil. Na eleição da mesa da assembleia municipal a oposição uniu-se e votou em bloco na lista apresentada pelo GAP, colocando assim o ex-presidente da câmara, José Veiga Maltez, na presidência, secundado por Maria de Fátima Gonçalves como primeira secretária e Alan Pereira como segundo secretário, ambos do GAP. Essa lista obteve dez votos, contra sete da lista do PS. Houve ainda um voto em branco.Num discurso de improviso, Veiga Maltez disse que, apesar de ser conhecido como uma pessoa que gosta de combate político, está consciente do seu novo papel entendendo que deve ser de mediador. “Quero dizer que o papel da assembleia municipal é muito importante para o governo do município. Temos um papel de fiscalização, mas também de ajuda para encontrar soluções para os problemas que vão surgindo, sem que para isso tenhamos que abdicar das nossas ideias e convicções”, afirmou.Destaque ainda para o facto dos elementos do GAP Manuel João Quartilho e Constantino Gaudêncio Lopes terem renunciado aos mandatos para que foram eleitos. Gaudêncio Lopes disse que o seu pedido de renúncia se deveu ao facto de assim permitir que um elemento da freguesia do Pombalinho (o que o vai substituir) tenha assento na assembleia municipal.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...