uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Deputados do PS preocupados com andamento das obras no mouchão de Pernes

Deputados do PS preocupados com andamento das obras no mouchão de Pernes

Parlamentares despertaram para um problema que tem quase três anos e que está em vias de resolução

Presidente cessante da junta de freguesia afirma que não há razões para alarme e que a empreitada, de responsabilidade governamental, está agora a decorrer como o previsto, após quase três anos de paragem.

Edição de 23.10.2013 | Sociedade
Os deputados socialistas eleitos pelo círculo de Santarém questionaram na quinta-feira, 17 de Outubro, o Governo sobre uma alegada paragem na reconstrução da muralha do mouchão de Pernes, no concelho de Santarém, mas a junta de freguesia afirma que os trabalhos, retomados em Setembro após três anos de suspensão, estão a decorrer.Numa pergunta dirigida ao Ministério do Ambiente, os deputados socialistas sustentam que as obras de requalificação da muralha, na freguesia de Pernes, tiveram início antes das eleições autárquicas de 29 de Setembro, mas terão sido “interrompidas após a realização das mesmas”.De acordo com o mesmo documento, após terem sido informados pela presidente cessante da Junta de Freguesia de Pernes, Salomé Vieira (CDU), de que as obras iriam ser “concluídas”, os deputados socialistas constataram que “em período pré-eleitoral foi instalado um estaleiro, montada uma grua e iniciada a reconstrução da muralha”.“Não obstante a obra […] se encontrar incompleta e de os trabalhos adjacentes não terem ainda sido iniciados, constatamos que durante a presente semana não encontrámos quaisquer trabalhadores na obra, nem sinais de trabalhos em curso”, indicam Idália Serrão, João Galamba e António Gameiro.Perante tal cenário, os deputados questionaram o Governo sobre as razões da interrupção da obra e querem saber também qual o prazo previsto para a sua conclusão, as fontes de financiamento e qual a entidade responsável pela sua execução. Recorde-se que a obra iniciada em Outubro de 2009 e tutelada pela Agência Portuguesa do Ambiente foi interrompida pela última vez, devido ao mau tempo, em Novembro de 2010, quando ainda estava o PS no Governo. A empreitada só recomeçou quase três anos depois, em 9 de Setembro último, devido à falta de financiamento.Questionada pela Lusa, o presidente da junta, Salomé Vieira, disse que a obra está “a ser feita como previsto”, faltando “apenas um bocadinho para concluir o paredão”. A autarca, que ao longo dos últimos anos não se cansou de reivindicar a conclusão das obras, afirmou desconhecer se nos últimos dias “estiveram ou não trabalhadores na obra”. Mas assegurou não estar preocupada, visto não ter “qualquer comunicação oficial da interrupção dos trabalhos” e acreditar que “a obra será concluída”.A empreitada no mouchão de Pernes tinha um prazo de execução de 8 meses e um custo previsto de 914.103 euros comparticipada em 548.461 euros por fundos comunitários. A obra, da responsabilidade da Agência Portuguesa do Ambiente, teve de ser interrompida pela primeira vez no final de Dezembro de 2009, quando ruiu parte do paredão central junto à cascata, que está a ser reconstruído, estando também por concretizar o alargamento da ponte pedonal de acesso ao parque do mouchão.
Deputados do PS preocupados com andamento das obras no mouchão de Pernes

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...