uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Coligação PSD/CDS de Ourém acusa vereador independente de prestar vassalagem ao PS

Coligação PSD/CDS de Ourém acusa vereador independente de prestar vassalagem ao PS

“O MOVE elegeu apenas um vereador parecendo, no entanto, querer ser o senhor absoluto de tudo. Só por capricho pessoal, cegueira ou sede de vingança poderá afirmar que foi o grande vencedor destas eleições”, acusou a coligação em conferência de imprensa.

Edição de 30.10.2013 | Política
A coligação Ourém Sempre (PSD/CDS) acusa o vereador independente do MOVE (Movimento Ourém Vivo e Empreendedor), Vítor Frazão - que foi presidente do município e candidato à presidência pelo PSD em 2009 -, de prestar vassalagem ao Partido Socialista, que gere a câmara. Em causa está a eleição para a presidência da Assembleia Municipal de Ourém onde a lista socialista venceu por apenas um voto de diferença, depois da lista do PSD/CDS, liderada por João Moura, ter sido a mais votada nas eleições de 29 de Setembro com mais de 1400 votos de diferença. As posição da coligação foi expressa em conferência de imprensa realizada na semana passada.A coligação refere que a reeleição da presidente Deolinda Simões contou com a “colaboração” do Move e de Vítor Frazão, que assim “demonstrou a cidadania e a independência que tanto apregoou durante a recente campanha eleitoral”. “Este não foi um grande momento do MOVE que cedo começa a evidenciar todas as suas fragilidades e incongruências pois, mais uma vez, colaborou com os objectivos dos socialistas”, referem os elementos da coligação liderada por Luís Albuquerque, acrescentando que quem perdeu “credibilidade” foi a assembleia municipal que “desrespeitou o veredicto das eleições ficando a sua presidente [Deolinda Simões] bastante fragilizada do ponto de vista institucional e político”.A coligação PSD/CDS volta a criticar Vítor Frazão depois de este ter afirmado que era o “grande vencedor” das eleições. “O MOVE elegeu apenas um vereador parecendo, no entanto, querer ser o senhor absoluto de tudo. Só por capricho pessoal, cegueira ou sede de vingança poderá afirmar que foi o grande vencedor destas eleições”, acusam.Luís Albuquerque e os companheiros da coligação “estranham” o facto de ter ficado o compromisso de disponibilizar uma equipa constituída por funcionários do quadro da câmara a um vereador que não vai ter pelouros. A coligação considera que, se Vítor Frazão não tem pelouros atribuídos, e não vai ter permanência diária no edifício da autarquia, “não tem que ter as mesmas condições de trabalho que qualquer outro vereador nas mesmas condições”.A coligação termina o seu comunicado referindo que Vítor Frazão não vai auferir o vencimento de vereador uma vez que “está aposentado desde o tempo em que desempenhou funções na Câmara de Ourém e que, por imperativo legal, não pode acumular com outro vencimento”. “Novidade seria se manifestasse disponibilidade para prescindir das senhas de presença das reuniões camarárias. As afirmações que fez de que quer poupar custos ao erário do município é atirar areia para os olhos das pessoas”, concluem os elementos da coligação PSD/CDS.
Coligação PSD/CDS de Ourém acusa vereador independente de prestar vassalagem ao PS

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...