uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Crise pairou sobre a sessão de abertura do ano lectivo do Politécnico de Santarém

Crise pairou sobre a sessão de abertura do ano lectivo do Politécnico de Santarém

Presidente da Federação Académica defende melhores respostas da acção social, enquanto presidente do IPS manifestou preocupação com o abandono escolar devido a razões económicas.

Edição de 30.10.2013 | Sociedade
Pela primeira vez o auditório das novas instalações da Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM) acolheu, na segunda-feira, 28 de Outubro, a sessão solene de abertura do ano lectivo do Instituto Politécnico de Santarém (IPS), que ficou marcada pelas alusões aos tempos difíceis que se vivem e que se traduzem, por exemplo, no aumento do abandono escolar e nas restrições orçamentais para o ensino superior.A cerimónia de boas-vindas aos novos alunos serviu também para o anúncio da despedida, no próximo mês de Novembro, de Emanuel Campos como presidente da Federação Académica de Santarém (FAS). O dirigente estudantil relembrou que no campo da acção social é preciso fazer mais, referindo-se não apenas às bolsas de estudo que têm deixado de fora um conjunto de estudantes anteriormente abrangido, mas também no que respeita ao acesso a serviços de saúde e serviços alimentares.O presidente da Federação Académica de Santarém reconheceu no entanto que o Politécnico de Santarém “é uma estrutura que se preocupa com as pessoas que nela trabalham e se formam”, aludindo ao “elevado grau de empregabilidade em algumas escolas e outros factores que nos fazem acreditar que os estudantes que representamos estão no sítio certo para preparar o seu futuro”.Jorge Justino, presidente do IPS, também sublinhou que o abandono escolar por incapacidade financeira está a aumentar e defendeu que têm de ser encontradas soluções para inverter a situação, até porque não se prevê que a situação melhore nos próximos tempos. “Todos nós temos responsabilidade na recuperação de Portugal, mas as instituições do ensino superior têm uma responsabilidade acrescida devido à responsabilidade e transferência de conhecimento para a sociedade e da criação de valor para o país”, completou Justino. A sessão solene contou também com a presença de Isaura Morais, presidente da Câmara Municipal de Rio Maior, que desejou aos alunos das escolas do IPS que consigam alcançar os seus objectivos. As últimas palavras da autarca foram dirigidas à Escola Superior de Desporto de Rio Maior, que a autarca espera que continue a elevar o nome da cidade e do concelho, relembrando a estreita articulação que tem existido entre a escola e a comunidade riomaiorense não apenas em termos institucionais, mas também ao nível da comunidade.Isaura Morais afirmou-se uma aliada para a continuidade do ensino politécnico na região e sublinhou que todos os alunos que queiram desenvolver uma ideia de negócio podem encontrar no Centro de Negócios de Rio Maior a alavanca que precisam.A sessão solene de abertura do ano lectivo 2013/2014 contou com uma plateia de ilustres, onde também foi homenageada a Federação Académica de Santarém e o ultramaratonista Carlos Sá. Os melhores alunos das escolas do IPS e os vencedores do projecto Poliempreende foram também distinguidos. A professora Maria Potes Barbas terminou a sessão solene com uma oração de sapiência intitulada “Identidade Politécnica: Conhecimentos|Redes|Impactos”.
Crise pairou sobre a sessão de abertura do ano lectivo do Politécnico de Santarém

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...