uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Jantar de amigos acabou de forma trágica com morte de camionista do Couço num despiste

Jantar de amigos acabou de forma trágica com morte de camionista do Couço num despiste

José Miguel Prates era estimado na terra e seguia com três amigos numa carrinha que se despistou em Almeirim
Edição de 30.10.2013 | Sociedade
Um jantar entre amigos no Couço, concelho de Coruche, acabou de forma trágica. Cerca da uma da madrugada de sexta-feira, 25 de Outubro, os quatro homens tiveram um acidente na zona do Convento da Serra, na Estrada Nacional 114, em Almeirim. O camionista José Miguel Prates, 46 anos, foi projectado da viatura que acabou por lhe passar por cima. Teve morte imediata. O trágico acidente deixou em choque a freguesia do Couço, onde o camionista de transportes internacionais era uma pessoa bastante conhecida e estimada. José Miguel Prates, que era solteiro e vivia em Foros de Lagoíços, tinha estado antes do acidente com os amigos, Noé, Jorge e António Neves, a jantar no snack-bar das bombas de gasolina da Estrada Nacional 251, estabelecimento que costumava frequentar. José tinha entrado à tarde no café e à noite jantou com os amigos num serão animado onde se tocou concertina e se cantou à desgarrada, recorda o dono do snack bar, Paulo Simões. Quando o café fechou, perto da meia-noite, os amigos saíram na carrinha de um deles, um empresário de máquinas de terraplanagens, que reside em Coruche e que é conhecido por “Caixa”.A vítima era considerada por todos uma pessoa trabalhadora, pacata e sempre disponível para os amigos. Manuel Cardoso, amigo de Prates, como era conhecido na terra, não pára de pensar no que ele lhe disse nessa noite e que o tem atormentado. “Tinha uma lebre para fazermos uma jantarada e ele disse-me nessa noite que eu estava à espera que ele morresse para dar a lebre”, contou a O MIRANTE. Manuel recorda que Prates “estava bem disposto e na paródia”, características pelas quais era também conhecido entre os amigos.Paulo Simões recorda, consternado, que o camionista “era uma pessoa espectacular, muito amigo, pacato, que nunca teve problemas com ninguém”, recordou. Amigos de infância e colegas de escola, a morte do amigo foi um choque para Paulo que recorda, com lágrimas nos olhos, os bons momentos que passaram. José Miguel Prates deixa os pais e uma irmã que ficaram em estado de choque quando receberam a notícia. Os três amigos que seguiam na carrinha com Prates ficaram feridos. Quando as ambulâncias chegaram ao local estes estavam na berma da estrada ensanguentados, supondo-se que tenham saído pelo próprio pé da carrinha todo-o-terreno que ficou tombada na estrada.A viatura seguia no sentido de Coruche para Almeirim, desconhecendo-se para onde iam os quatro amigos àquela hora da noite. Numa ligeira curva à direita a carrinha Toyota foi em frente e embateu numa árvore que estava à beira da faixa de rodagem contrária ao sentido em que seguiam. Depois do embate a viatura imobilizou-se uns metros mais à frente. O trânsito esteve cortado mais de duas horas e no socorro às vítimas esteve a equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação, os Bombeiros Voluntários de Almeirim e Santarém e os Municipais de Santarém, num total de duas dezenas de elementos e oito viaturas. No local esteve a GNR a controlar o trânsito e a tomar conta da ocorrência. O caso está em investigação pelo núcleo de investigação de acidentes da GNR.
Jantar de amigos acabou de forma trágica com morte de camionista do Couço num despiste

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...