uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Abrantes tem a mais nova associação humanitária de bombeiros voluntários do país

Abrantes tem a mais nova associação humanitária de bombeiros voluntários do país

Corpo de bombeiros municipais passou para a associação a 21 de Maio deste ano
Edição de 06.11.2013 | Sociedade
Na fachada do edifício do quartel, no nº 1160 da Avenida D. João I, mantém-se a designação “Bombeiros Municipais de Abrantes”. Na prática, o corpo de bombeiros deixou de ser municipal em Maio deste ano, passando para a responsabilidade da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Abrantes, constituída legalmente alguns meses antes, a 7 de Fevereiro. Em colaboração com os cidadãos, a câmara municipal ultrapassou as limitações que estava a enfrentar para manter um corpo de bombeiros com capacidade operacional para prestar socorro e protecção de pessoas e bens, no território municipal.Impossibilitada de contratar pessoal, nomeadamente para prestar serviço como bombeiros municipais e de gratificar o serviço prestado por voluntários, a Câmara de Abrantes concluiu que, a breve prazo, o corpo misto de bombeiros municipais não teria capacidade para prestar a sua actividade de forma eficaz e contínua. Em determinada altura a autarquia chegou a recorrer à Associação de Voluntários do vizinho concelho de Constância para ser esta a pagar as gratificações aos seus voluntários mas rapidamente percebeu que tinha que avançar para outra solução.A oportunidade surgiu quando um grupo de cidadãos, conhecedor do que se estava a passar, decidiu constituir a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Abrantes. Através de protocolo, a câmara municipal transferiu o quartel, meios, viaturas e pessoal para a nova organização. O objectivo foi criar melhores condições para a manutenção de um corpo de bombeiros que não tivesse as limitações que estavam a ser impostas ao corpo misto municipal. E assim, a 21 de Maio foi dada a autorização pela Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) para a criação de um corpo de bombeiros pela Associação de Abrantes.Neste momento a mais jovem associação do género do país e do distrito de Santarém conta com 64 bombeiros no activo. Nove são bombeiros profissionais cedidos pelo município. Onze bombeiros que eram voluntários entraram para o quadro da associação, bem como quatro outros elementos. Os restantes são voluntários. A médio prazo a AHBVA pretende alcançar um quadro activo entre os 100 e os 120 elementos, criando uma situação de excelência, uma vez que a aposta no aumento de voluntários não irá pesar demasiado em termos financeiros. Por agora está a ser concluída uma recruta que até ao final do ano disponibilizará 12 novos bombeiros voluntários. Em vista está já outra recruta com início previsto entre Dezembro e Janeiro do próximo ano em que se juntarão mais 12 bombeiros à equipa aumentando o número de bombeiros activos para 86. O presidente da associação, João Furtado e o comandante operacional António Manuel Jesus, dizem que o novo corpo de bombeiros ultrapassou com distinção a fase dos incêndios e que agora está a ser dada atenção à melhoria da operacionalidade. “Neste momento em termos operacionais temos mais capacidade”, garante. “Os bombeiros profissionais que saíram e foram trabalhar para diversos serviços da câmara municipal, não faziam horas. Eram funcionários públicos. Hoje todos os bombeiros profissionais fazem o seu horário e periodicamente fazem horas de voluntariado” explica, João Furtado. A angariação de sócios não foi prioridade até ao momento. Apesar disso a associação iniciou com 106 sócios e neste momento conta já com cerca de duas centenas, sem qualquer tipo de campanha e sem ter ainda definido benefícios para quem se associar. Este mês vai decorrer uma assembleia onde a AHBVA irá apresentar o seu plano de acção para o próximo ano e a fasquia do número de sócios para o próximo ano irá situar-se nos 2000 sócios.A manutenção dos veículos (que passam a ostentar a designação “Bombeiros de Abrantes”), aquisição de gasóleo e demais encargos estão agora a cargo da AHBVA. Neste momento a associação sobrevive, em grande parte, da verba disponibilizada pela Câmara Municipal. “Recebemos um duodécimo do valor que a autarquia gastou o ano passado com os bombeiros”, explica o presidente. Para além daquele valor, a associação já auferiu o pagamento dos serviços que efectuou ao dispositivo de combate a incêndios florestais (DECIF), e aguarda o pagamento da contribuição mensal que a autoridade efectua a todos os corpos de bombeiros que são associações, bem como o pagamento dos serviços do INEM, pois desde Agosto que foi formalizado um protocolo entre as duas entidades.Presidente da câmara satisfeita com solução que conseguiu encontrarQuantos funcionários municipais trabalhavam nos bombeiros municipais e quantos aceitaram continuar a fazer o trabalho de bombeiros na nova corporação?Aceitaram ser transferidos em cedência de interesse público, 10 elementos do corpo de bombeiros municipais, tendo outros 11 elementos permanecido no município a exercer outras funções.Como tem sido a integração dos que optaram por outra ocupação na câmara municipal?A integração tem sido a normal em situações de mudança de serviços. Há sempre um tempo de adaptação, que é natural.Quanto é que o município conseguiu poupar com esta nova situação? Que balanço pode já ser feito da actividade da nova corporação de bombeiros?O objectivo primordial da câmara, quando tomou esta decisão, não foi poupar mas servir melhor. Ainda assim, no final do ano, o município terá um balanço sobre o resultado económico da mudança de paradigma dos bombeiros em Abrantes. Mas certamente será positivo, dado que a abertura à sociedade civil e a comparticipação da administração central a partir do próximo ano, à semelhança do que ocorre com as outras mais de trezentas e oitenta corporações de bombeiros, far-se-á sentir. Anota-se que a gestão do corpo de bombeiros, incluindo os encargos, está a ser normalmente assumida pela corporação. Mas há uma questão básica e fundamental para o município, que é a da preocupação de que a qualidade do atendimento não seja prejudicada, e essa tem sido assegurada. Como analisa a reacção da população à nova situação? A reacção da população tem sido positiva, inclusivamente temos tido alguns ecos bastante positivos em relação ao bom desempenho dos bombeiros.Ainda há conflitos pendentes em Tribunal?Não conhecemos conflitos com trabalhadores ou bombeiros em tribunal.O que aconteceu à queixa da câmara apresentada no Ministério Público contra o sindicato e federação de bombeiros por estarem a pôr em risco a segurança das populações com as suas tomadas de posição? A queixa contra o Sindicato Nacional de Bombeiros está neste momento em fase de inquérito.
Abrantes tem a mais nova associação humanitária de bombeiros voluntários do país

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...