uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Sistema para evitar desperdícios com refeições nas escolas de Samora deixa crianças sem almoço em caso de falhas

Criança de sete anos não almoçou na cantina porque não fez reserva a tempo e câmara já está a estudar alternativas
Edição de 13.11.2013 | Sociedade
O sistema para evitar desperdícios e atrasos nos pagamentos das refeições no Agrupamentos de Escolas de Samora Correia acaba por em situações imprevistas ou de falhas deixar crianças sem almoço. Foi o que aconteceu na semana passada a uma menina de 7 anos da escola do primeiro ciclo das Acácias. O caso já levou a Câmara de Benavente a agir e a vereadora da Educação, Fátima Catarina Vale, confirma que está a estudar com a direcção do agrupamento uma alternativa para que este tipo de situações não voltem a acontecer. O caso passou-se no dia 5 de Novembro. Os pais da aluna esqueceram-se de reservar o almoço na véspera na plataforma informática da escola. A refeição não foi confeccionada e quando a criança chegou à cantina foi impedida de comer. Acabou por almoçar uma sandes e um sumo com dinheiro que os pais lhe tinham dado para o caso de precisar comprar alguma coisa. O director do agrupamento, Carlos Amaro, garante que se a criança não tivesse dinheiro que não iria ficar sem comer. Questionado sobre a impossibilidade de almoçar na cantina da escola, Carlos Amaro justifica que a funcionária tem ordens para não fornecer um almoço que não esteja marcado no sistema. A cantina é explorada por uma empresa privada e segundo o director do agrupamento a informação do número de refeições é fornecida de véspera à empresa. No máximo só até às 10h00 do próprio dia é possível ainda marcar almoços de última hora. “A comida obedece a um controlo rigoroso e é confeccionada à conta” explica o director. Contactada por O MIRANTE a empresa Gertal, que fornece as refeições, não quis prestar declarações.O pai da menina, Gabriel Silva, está revoltado com a situação e lamenta não ter sido contactado para ir buscar a filha à escola. A direcção do agrupamento garante que uma funcionária ligou para a mãe à hora do almoço mas que não conseguiu falar com ela. Pelo que a aluna foi encaminhada da cantina, que funciona na escola EB 2/3, para a escola das Acácias. Gabriel refere que se o almoço tivesse sido servido que pagaria logo de seguida a devida importância.O pagamento das refeições é feito através de um cartão escolar mas implica que o mesmo seja carregado com saldo na escola. Carlos Amaro indica que vai reunir com uma entidade bancária para averiguar a possibilidade do carregamento dos cartões através do multibanco, deixando assim os pais de se deslocarem à instituição de ensino. Em outras escolas da região, como em Almeirim, ainda não funciona este sistema. Neste concelho as refeições também são servidas por uma empresa mas é a câmara que paga à empresa e os pais pagam no final do mês à autarquia. No caso de o aluno faltar tem que se avisar na véspera para que a refeição não seja confeccionada, senão terá de ser paga.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...