uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Karateca de Alverca quer chegar às medalhas

Pedro Marques começou no Karaté aos cinco anos porque era muito nervoso. Agora com 17 foi convocado para a selecção nacional e vai estar presente no Campeonato Europeu de Kata

Edição de 20.11.2013 | Desporto
Aos cinco anos, Pedro Marques era uma criança problemática e todos os dias recebia queixas da escola. O pai sabia que ele precisava de uma actividade extra para se acalmar e meteu-o no karaté. Agora, com 17 anos, Pedro é um rapaz calmo e paciente que só quer alcançar resultados na modalidade. “Tudo o que aprendo no Karaté, tento transpor para o meu dia-a-dia. Aqui ensinam-nos a ter respeito pelos mais velhos e a lidar com as críticas que recebemos todos os dias” afirma o atleta alverquense que já foi campeão regional e quarto classificado a nível europeu.Pedro foi convocado para representar a selecção nacional e vai competir no Campeonato Europeu de Kata de Karaté Shotokan a realizar nos dias 22,23 24 de Novembro na Póvoa de Varzim. A prova não consiste em combates mas sim em demonstrações ou “kata” com a presença de cinco árbitros que avaliam a forma, a postura, o espírito, a força, a técnica e a maturidade de cada concorrente. “É algo muito espiritual” explica o karateca que quer dar o seu melhor e trazer uma medalha para Portugal.Começou a praticar a modalidade na Fundação CEBI mas quando o seu “sensei” João Carreiro foi para o Futebol Clube de Alverca, Pedro também se mudou. Está aqui desde os dez anos e diz que à medida que ia crescendo, o Karaté ia tendo cada vez mais importância na sua vida e ia sendo encarado com outra responsabilidade. O jovem esclarece que é raro ficar nervoso antes dos combates ou das demonstrações e que só acusa a pressão quando tem que fazer provas para mudar de cinto. “É intimidante porque estamos a ser observados por grandes mestres japoneses de Karaté” conta Pedro que já é cinturão negro há três anos e que ainda tem que evoluir bastante para passar do primeiro nível ou “dan”.O atleta treina sempre duas horas durante seis dias da semana e ainda ajuda na preparação de crianças dos 4 aos 9 anos. Ao mesmo tempo que estuda Ciências e Tecnologias na Escola Gago Coutinho está também a tirar um curso de instrução de Karaté Shotokan. Com tudo isto, sobra pouco tempo para estar com os amigos mas Pedro não se importa. “Prefiro treinar do que estar a frequentar festas em que se embriagam que não é muito o meu ambiente” escolhe disciplinarmente. O desportista garante que nunca usou técnicas do Karaté para seu próprio beneficio e ignora algumas “bocas” para não se meter em confusões. Como todos os karatecas, o modalista tem o sonho de visitar o Japão e de conhecer por dentro a cultura e a mentalidade do país onde nasceu o Karaté, mas isso implica algum gasto monetário. Só um fato de competição e o cinturão custaram mais de duzentos euros.“Sensei” orgulhoso do seu aluno O “sensei” João Carreiro não esconde o orgulho pelo aluno Pedro Marques e diz que a chamada é merecida pelo esforço e a dedicação depositada nos treinos. “Não é fácil ter aulas e mesmo assim treinar seis vezes por semana” explica. Ao todo existem 72 alunos inscritos na modalidade do FC Alverca com uma faixa etária que vai dos 4 aos 60 anos. “Temos oito cinturões negros mas acredito que daqui a uns tempos possamos ter mais” afirma o mestre, esclarecendo que os treinos são divididos com a graduação dos cintos.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...