uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Próximo Quadro Comunitário contempla pela primeira vez apoio financeiro ao “Business Angels”

Próximo Quadro Comunitário contempla pela primeira vez apoio financeiro ao “Business Angels”

Associação de empresários realizou 7ª Semana Nacional de “Business Angels” em Santarém

Nos últimos 30 meses foram constituídas 88 empresas com investimentos da organização “Business Angels”, envolvendo quase 15 milhões de euros. Uma média de três empresas por mês.

Edição de 27.11.2013 | Economia
O próximo quadro comunitário 2014/2020 vai contemplar, pela primeira vez, medidas de apoio financeiro aos Business Angels de Portugal, reconhecendo assim a importância do trabalho desenvolvido pela associação de empresários. A informação foi avançada por Pedro Nunes, director executivo da Business Angels do distrito de Santarém durante a 7ª Semana Nacional de Business Angels que decorreu no auditório da Escola Superior Agrária de Santarém, na tarde de sexta-feira, 22 de Novembro. A iniciativa integra a primeira Semana Europeia de Business Angels, que decorre em 34 países e inclui 140 eventos do género. Pedro Nunes referiu que nos últimos 30 meses foram constituídas 88 empresas com investimentos dos Business Angels, envolvendo quase 15 milhões de euros de investimentos financeiros. “Dá uma média de criação de três empresas por mês. Já é um volume que começa a ter impacto na nossa economia. Estes números traduzem bem a dinâmica que o Business Angels tem estado a implementar em Portugal”, refere o director executivo.Os quatro primeiros anos de actividade dos Business Angels em Santarém foram difíceis sobretudo porque, explica aquele responsável, os próprios empreendedores não estavam familiarizados com o conceito. “Muitas vezes nem sabiam da nossa existência e os que sabiam não conheciam o projecto e os objectivos”, sublinha. Pedro Nunes explica que actualmente estão a passar por uma fase de maior concretização de negócios e operações. “As coisas estão bem melhores, os empreendedores estão mais capacitados e os projectos aparecem muito melhor estruturados”, relata.Pedro Nunes explica ainda que o fundo de investimentos dos Business Angels tem cerca de 25 milhões de euros para aplicar até Junho de 2015. O empresário espera que apareçam boas ideias, bem estruturadas, “com pernas para andar”, para que se possam concretizar o máximo possível de operações. “Só boas ideias não chegam. Os modelos de negócio têm que ser bem pensados e têm que estar bem estruturados”, reforça.O director do IAPMEI (Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação), André Março, esteve presente e falou dos vários programas de apoio e investimento a empresas que estão em curso. Segundo referiu o quadro estratégico 2014/2020 que se está a “desenhar” e que será implementado no próximo ano será de extrema importância para o desenvolvimento do país. “Estamos a avaliar os instrumentos de promoção de empreendedorismo existente, quais os resultados alcançados e perceber aqueles que temos que continuar a promover ou a melhorar”.André Março referiu ainda que as câmaras municipais devem envolver-se “cada vez mais” para conseguirem captar financiamento comunitário, alertando para a possibilidade de “mobilizar” recursos financeiros dos programas operacionais existentes para promover o empreendedorismo. O director do IAPMEI acredita que o nosso país vai ter resultados “muito, muito bons” a médio prazo [cinco, seis anos] com os investimentos do novo quadro comunitário.A presidente da Nersant, Salomé Rafael, recordou que a Associação Empresarial da Região de Santarém já aposta no empreendedorismo há dez anos e que durante esse tempo tem sabido escolher as melhores ideias de negócio, motivar as pessoas a criarem o seu próprio negócio e, em simultâneo, acompanhar e monitorizar os primeiros passos das empresas que ajuda a criar. Ao todo a Nersant já apoiou a criação de 400 empresas no âmbito do projecto de apoio ao empreendedorismo. “A Nersant vai-se adaptando sempre àquilo que é mais necessário para as empresas da região”, referiu, acrescentando que é preciso haver sempre criatividade relativamente a novos nichos de negócios.O presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves, também esteve presente, tendo aproveitado para anunciar que a candidatura do Centro de Incubação de Empresas tinha finalmente sido apresentada e que o mesmo vai funcionar nas instalações da antiga Escola Prática de Cavalaria (ver notícia nesta edição). Os associados do Business Angels irão decidir na próxima assembleia geral a mudança da sua sede para o local. O que é o Business Angels?O Business Angels é uma associação de empresários disponível para incentivar uma nova geração de empreendedores. Nasceu em Santarém em 2009 e teve, desde a primeira hora, o apoio da Nersant.Na Europa o projecto tem mais de 10 anos de provas dadas e centenas de casos de sucesso. Para integrar o Clube Business Angels de Santarém não é preciso pagar jóia nem quota. Os membros que forem aceites no projecto ficam sujeitos a um código de conduta e de ética, um “acordo de cavalheiros” que regulamenta o funcionamento da associação.
Próximo Quadro Comunitário contempla pela primeira vez apoio financeiro ao “Business Angels”

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...