uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Aumento do tarifário da Águas do Ribatejo contestado

Aumento do tarifário da Águas do Ribatejo contestado

Presidente do município garante que subida na factura da água não é significativa e andará entre 30 a 70 cêntimos por mês nos escalões de maior consumo. Novo tarifário abrange os concelhos de Almeirim, Alpiarça, Benavente, Chamusca, Coruche, Salvaterra de Magos e Torres Novas.

Edição de 11.12.2013 | Política
O aumento dos valores a pagar na conta da água nos próximos anos tem originado alguma polémica em Alpiarça. Um descontentamento que começou nas redes sociais e que se reflectiu na última sessão da assembleia municipal extraordinária, apesar do assunto não estar agendado. A discussão, acalorada em alguns momentos, prolongou-se tendo o assunto sido debatido no início e no fim da reunião, que começou por volta das 21h00 e terminou perto das quatro da madrugada. O movimento independente Todos Por Alpiarça (TPA) já tinha demonstrado o seu descontentamento com a nova tarifa da água (que vai abranger os sete concelhos que integram a empresa) em reunião camarária com o vereador Francisco Cunha a votar contra a proposta. Francisco Cunha propôs a apresentação conjunta de um protesto junto da administração da empresa intermunicipal Águas do Ribatejo contra o “brutal” e “inqualificável” aumento que a empresa se “prepara para lançar” sobre os consumidores. “Aumentar o tarifário dos consumos domésticos de água em 4,6 por cento e aumentar também as tarifas variáveis de saneamento em mais de 20 por cento, numa altura em que a maioria do povo português teve uma redução salarial de mais de 20 por cento e em que a taxa de inflação de 2013 ficará, provavelmente, abaixo de um por cento só pode ser considerada uma proposta de total insensibilidade social perante os sacrifícios a que o povo português tem vindo a ser sujeito”, referiu o autarca em reunião de câmara.O presidente da Câmara de Alpiarça, Mário Pereira (CDU), garante que o aumento do preço da água, nos escalões de maior consumo (até 5 m3 e entre 5 e 15 m3) vai ser entre 30 a 70 cêntimos por mês na factura. O autarca explica que o aumento só não é maior porque o conselho de administração da AR propôs que os valores que estavam definidos no contrato de gestão, aprovado no final de 2012, fossem revistos. O novo tarifário incidirá sobre os consumidores de todos os concelhos que integram a Águas do Ribatejo - Almeirim, Alpiarça, Benavente, Chamusca, Coruche, Salvaterra de Magos e Torres Novas. Para 2014 estava previsto um aumento de 6,6 por cento (aumento real de 5 por cento mais 1,6 por cento de taxa de inflação). No entanto, o conselho de administração achou que seria importante aprovar uma tarifa mais baixa e conseguiram aprovar um aumento de 4,6 por cento (três por cento mais 1,6 por cento de taxa de inflação), uma redução de dois por cento em relação ao valor que estava previsto.“A Águas do Ribatejo continua a ter a água mais barata da região. Este aumento é razoável por não podermos pôr em causa a sustentabilidade da empresa. Este é o único veículo para manter a gestão pública da água, é a forma de evitar a entrada de capital privado na empresa. Se este serviço é privatizado aí é que os preços vão disparar e depois não há presidente de câmara para segurar a gula de quem quer ter bastante lucro à custa disto”, afirmou o autarca.Em relação ao aumento dos valores da taxa de saneamento básico, Mário Pereira explica que está previsto um aumento de 20 por cento para 2017 mas é “apenas uma previsão”, podendo concretizar-se ou não. “Quando chegarmos a 2017 o conselho de administração pode decidir que o saneamento não aumenta 20 por cento. É um valor meramente indicativo”, realçou Mário Pereira.Críticas também em CorucheO aumento do tarifário da água também foi abordado na última reunião da Câmara de Coruche, de maioria socialista, com o vereador da CDU Isidro Catarino a dizer que não faz sentido fazer recair este aumento sobre as populações alegando que está a ser seguido o caminho mais fácil que é o de “sobrecarregar quem não tem oportunidade de escolha”. Daí ter votado contra, enquanto o outro vereador da coligação, José Marcelino, e a vereadora do PSD Liliana Pinto abstiveram-se.O presidente da Câmara de Coruche, Francisco Oliveira (PS), que é também presidente do conselho de administração da Águas do Ribatejo, explicou que o aumento é essencial para manter a manutenção do património e sustentabilidade financeira da empresa, garantindo que após este aumento o tarifário da água não sofrerá mais agravamentos até 2017.
Aumento do tarifário da Águas do Ribatejo contestado

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...