uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Futuro do Retail Park de Santarém preocupa autarcas

Futuro do Retail Park de Santarém preocupa autarcas

Desde a sua abertura, em 2008, é a segunda grande superfície comercial que fecha portas no empreendimento situado junto à entrada sul da cidade.

Edição de 11.12.2013 | Sociedade
O encerramento da loja da cadeia de mobiliário Moviflor em Santarém motivou algumas preocupações no seio do executivo camarário acerca do futuro do Retail Park, complexo comercial onde aquela unidade estava instalada. Desde a inauguração do Retail Park em Maio de 2008, esta é a segunda grande superfície comercial que ali fecha portas, após o encerramento do hipermercado Jumbo e respectivo posto de abastecimento de combustíveis em Junho de 2012. A Moviflor de Santarém cessou actividade na última semana de Novembro, ficando em causa 14 postos de trabalho. O vereador da CDU na Câmara de Santarém, Francisco Madeira Lopes (CDU), recordou na última reunião do executivo as dúvidas manifestadas por essa força política aquando da inauguração do Retail Park, questionando a viabilidade económica desse projecto tendo em conta a oferta de grandes superfícies comerciais que já existia no concelho. Perguntou ainda ao presidente da câmara se foram concedidos alguns benefícios pela autarquia para instalação daquele complexo e se a situação está a ser acompanhada pelo município.Na resposta, o presidente da câmara, Ricardo Gonçalves (PSD), referiu que o encerramento da Moviflor decorre de um processo a nível nacional que levou ao fecho de outras lojas do grupo no país. O autarca disse acompanhar “com alguma tristeza” a situação, reconhecendo que o Retail Park atravessa um período de “algumas dificuldades”. Garantiu ainda que iria fazer um levantamento de eventuais benefícios concedidos pela câmara ao empreendimento.Empresário Alexandre Alves vendeu o Retail Park dois meses após a inauguraçãoRecorde-se que o Santarém Retail Park foi desenvolvido pela Teilnahme, Investimentos Imobiliários, uma firma do universo empresarial de Alexandre Alves, o empresário que está também por detrás do polémico projecto da RPP Solar em Abrantes. O Retail Park foi inaugurado a 29 de Maio de 2008 e vendido dois meses depois por cerca de 35 milhões de euros a um fundo de investimento imobiliário - PREF (Pillar Retail Europark Fund) - com sede no Luxemburgo. O Santarém Retail Park localiza-se junto ao Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), custou cerca de 40 milhões de euros e previa a criação de mil postos de trabalho directos e 500 indirectos, mas esses números nunca foram atingidos. O complexo foi erguido em terrenos adquiridos por 7 milhões de euros ao CNEMA junto a esse parque de exposições.No espaço estão ainda presentes grandes superfícies comerciais como a AKI, a Rádio Popular e DeBorla. O empreendimento possui uma área bruta de aproximadamente 26.200 m2, para além de 1266 lugares de estacionamento.Durante a inauguração do Santarém Retail Park, Alexandre Alves declarou que pretendia avançar também com o projecto do Business Park, a desenvolver numa área de 24.264 metros quadrados na mesma zona. O projecto devia disponibilizar áreas para instalação de empresas e funcionaria como incubadora e nicho de empresas, sendo dotado de uma central fotovoltaica. Tal como o projecto da RPP Solar, fábrica de painéis solares prevista para a zona de Abrantes, esse parece ser mais um desígnio do polémico empresário a ficar pelo caminho.
Futuro do Retail Park de Santarém preocupa autarcas

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...