uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Menos 12 milhões no orçamento de Vila Franca de Xira para 2014

Qualificação urbana, educação e juventude e cultura são as que têm maior dotação
Edição de 23.12.2013 | Sociedade
As áreas da educação e juventude, infraestruturas e rede viária, limpeza e higiene urbana são as prioridades da Câmara de Vila Franca de Xira para 2014. O orçamento tem menos 12 milhões de euros face ao orçamento deste ano de 2013. Ao todo são 59 milhões e 150 mil euros, um dos valores mais baixos dos últimos cinco anos.Para o planeamento e qualificação urbana a autarquia reservou 8,5 milhões de euros. A educação e juventude terá uma verba de 5,6 milhões enquanto na acção sócio-cultural e actividades de lazer prevê-se gastar 2,8 milhões. As associações e instituições sem fins lucrativos devem receber da autarquia um total de 2,3 milhões e a área da habitação e acção social tem pouco mais de 1,247 milhões de euros. Entre as obras previstas está a conclusão da regularização do rio Grande da Pipa, da nova biblioteca de Vila Franca, do Jardim da Flamenga fase 4 em Vialonga e a conclusão da requalificação da zona ribeirinha da zona sul do concelho e do projecto “Eco-Bairros” na Póvoa de Santa Iria. No próximo ano prevê-se o arranque da obra de ampliação da escola nº1 do Sobralinho e a requalificação e conservação das vias municipais. Também vão manter-se os apoios às famílias carenciadas. Os alunos dos escalões A e B que frequentem o 1º e 2º ano do primeiro ciclo vão continuar a ter os livros gratuitos. Alberto Mesquita, presidente do município, fala num orçamento “realista” e prudente devido aos riscos da “grave crise” social e financeira do país. Na reunião de câmara em que o orçamento foi aprovado, a CDU votou contra considerando que se trata de um documento de “navegação à vista”, sem “projectos nem rumos” definidos. Vítor Silva, da coligação Novo Rumo, disse compreender que num quadro económico de incerteza o orçamento seja “cauteloso”. E não era de esperar outra posição porque os socialistas em maioria relativa no executivo aceitaram incluir algumas propostas da coligação.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...