uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Municípios abdicam de 500 mil euros para Águas do Ribatejo atenuar aumentos da água

Municípios abdicam de 500 mil euros para Águas do Ribatejo atenuar aumentos da água

Tarifas ficam dois por cento abaixo do que estava programado e prevê-se que não aumentem durante três anos
Edição de 30.12.2013 | Sociedade
Os municípios que constituem a Águas do Ribatejo decidiram abdicar das rendas dos equipamentos que a empresa intermunicipal lhes tinha que pagar para que os aumentos das tarifas de água e saneamento sejam mais reduzidos. Ao todo, as câmaras prescindiram de mais de 500 mil euros. Estava previsto as taxas aumentarem 6,6 por cento no âmbito do estudo económico da empresa gestora dos sistemas e tendo também em conta a inflação. Com esta decisão os aumentos situaram-se nos 4,6 por cento. E prevê-se que não existam aumentos durante três anos.O presidente do conselho de administração da Águas do Ribatejo diz que a medida foi tomada tendo em conta as condições económicas das populações. Francisco Oliveira, que é também presidente da Câmara de Coruche, sublinha que era inevitável o aumento das tarifas para “garantir a sustentabilidade financeira da empresa e assegurar os investimentos” na melhoria da rede e dos serviços. Uma vez que, realça, os municípios não contribuem com dinheiro para as obras que são necessárias fazer. Francisco Oliveira salienta que os municípios que fazem parte da empresa (com presidentes socialistas e comunistas) “têm sensibilidade para perceberem as dificuldades que as pessoas atravessam”. Em seu entender, se a empresa tivesse na sua estrutura accionista um privado era mais difícil conseguir-se um abaixamento das tarifas tendo em conta que os privados visam essencialmente o lucro. “Diria que não era mesmo possível tendo em conta alguns exemplos que ocorrem no país”. O autarca realça que as tarifas praticadas nos sete municípios são todas iguais e que a Águas do Ribatejo é a empresa no distrito de Santarém que pratica os preços mais baixos. O socialista Francisco Oliveira garante que há um compromisso de não aumentar as tarifas de consumo de água entre 2014 e 2017, aplicando-se as actualizações apenas ao saneamento básico que está indexado às facturas de água. O autarca sublinha que a Águas do Ribatejo faz a gestão do fornecimento em alta (captações) e em baixa (redes de abastecimento) e que por ser unicamente de capitais públicos tem a possibilidade de praticar um tarifário social mais baixo para pessoas carenciadas ou com reformas baixas e ainda dá descontos a famílias numerosas.A empresa intermunicipal foi constituída inicialmente pelas câmaras municipais de Almeirim, Alpiarça, Benavente, Chamusca, Coruche e Salvaterra de Magos e mais recentemente entrou a de Torres Novas. Segundo o site da Águas do Ribatejo na internet o plano de investimentos num período de 40 anos ascende a cerca de 135 milhões de euros. A empresa assumiu a responsabilidade de gerir 131 milhões de euros até 2015 e este objectivo apontou para a construção de um conjunto de equipamentos para servirem mais de 150 mil pessoas. Entre os investimentos estão a construção de 30 Estações de Tratamento de Águas Residuais, 49 estações elevatórias, 15 novas captações, 240 quilómetros de novos colectores, entre outros.
Municípios abdicam de 500 mil euros para Águas do Ribatejo atenuar aumentos da água

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...