uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Homenagem póstuma ao médico Artur Barbosa na Chamusca

Um homem bom e incansável que esteve sempre disponível para todos
Edição de 05.08.2015 | Sociedade
A União de Freguesias da Chamusca e Pinheiro Grande homenageou o médico Artur Barbosa, falecido há um ano, com a colocação de uma placa na fachada do edifício onde funciona o Centro de Saúde da Chamusca onde o homenageado trabalhou durante vinte e oito anos. O descerramento da placa "In Memoriam", encimada pelo símbolo da medicina, onde se pode ler a frase: "Mui ilustre clínico que será para sempre recordado na nossa comunidade pelo empenho e disponibilidade permanentes que lhe dedicou" ocorreu no domingo, 2 de Agosto, à tarde, na presença da viúva, Filomena Barbosa, dos seus três filhos e de outros familiares e amigos, bem como de muitas dezenas de cidadãos. A concepção da placa e o texto ali inscrito são da autoria do médico Veiga Maltez, presidente da Assembleia Municipal da Golegã e amigo pessoal do falecido, que também marcou presença na cerimónia tendo recordado o seu sorriso, a sua afabilidade e a sua total disponibilidade para os outros. O Provedor da Santa Casa da Misericórdia da Chamusca, Fernando Barreto, lembrou que Artur Barbosa foi desde, praticamente a sua chegada à Chamusca até ao seu falecimento, médico daquela instituição, exercendo funções a título gratuito. A decisão de homenagear Artur Barbosa, falecido a 2 de Agosto de 2014 com 57 anos de idade, foi tomada poucos dias após o seu funeral. Na reunião extraordinária da União de Freguesias de Chamusca e Pinheiro Grande, o seu presidente, Rui Martinho (PSD), propôs que no Orçamento para 2015 fosse aberta uma rubrica com a designação efemérides para ser possível homenagear o médico na altura do primeiro aniversário da sua morte. O autarca propôs ainda que a junta, quando consultada pela Câmara da Chamusca para indicar nomes a atribuir a arruamentos da freguesia, indicasse o nome de Artur Barbosa. O presidente da Câmara da Chamusca, Paulo Queimado (PS), também proferiu palavras de elogio ao médico desaparecido há um ano e saudou a viúva e filhos lembrando que para ele dar atenção a tanta gente muitas vezes não teria tempo para eles. O autarca desculpou-se por ter comparecido de calções, t-shirt e sandálias mas referiu que o homenageado não ligava a formalidades. "Quantos de nós não viemos aqui à sua presença para sermos vistos por ele até em pijama??!!" O presidente da União de Freguesias fez o discurso mais emotivo. Disse que Artur Barbosa tinha sido seu médico de família desde a chegada à vila, salientou as suas qualidades humanas e agradeceu as mensagens recebidas de pessoas que justificaram não estar presentes por se encontrarem longe no gozo de férias. Rui Martinho referiu a presença do seu pai entre a multidão, explicando que dia 10 de Agosto faria 88 anos e que, tal como muitas outras pessoas, estava ali graças ao Dr. Barbosa. O médico Artur Barbosa, de seu nome completo Artur Raul Vieira Fontes José Barbosa, nasceu a 13 de Janeiro de 1957 na cidade de S. Filipe, na Ilha do Fogo, em Cabo Verde, tendo ido viver para Santarém aos 17 anos. Foi nessa cidade que concluiu o liceu, tendo entrado em Lisboa, na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa, em 1976. Após terminar o curso, em 1982, fez o internato no Hospital Distrital de Cascais e foi colocado na Chamusca em 1986. Para além de director da Unidade de Saúde Familiar da vila exercia as funções de médico legista no gabinete médico legal do Hospital de Tomar, pertencente ao Centro Hospitalar do Médio Tejo. Era conhecido pelo seu bom humor e pela atitude positiva perante a vida. A maior parte dos seus doentes recorda-o como um médico sempre disponível que não se importava de sacrificar o seu tempo de descanso para atender quem precisava. Estava sempre disponível para quem necessitava de ajuda. Raramente desligava o telemóvel. Costumava dizer que ser médico de família era o que mais gostava de fazer e que não se imaginava a fazer outra coisa.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...