uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
A presidente de junta que trabalha 20 horas em nome da festa de Mouriscas

A presidente de junta que trabalha 20 horas em nome da festa de Mouriscas

Edição de 12.08.2015 | Sociedade
Teresa dos Santos está na sede da junta de freguesia a tratar da papelada da autarquia e a dar indicações para as festas. Dá as indicações para a organização da XXIII Feira Mostra de Artesanato e Gastronomia de Mouriscas, Abrantes. “Não compres já o vinho, esperamos pela semana que vem que pode ser que esteja em promoção”, diz a presidente da autarquia, pelo telefone, a um colaborador. Manuel Raposeiro, secretário da junta, guarda vários garrafões de azeite que foram oferecidos por um habitante.A XXIII Feira Mostra de Artesanato e Gastronomia de Mouriscas, de 13 a 16 de Agosto, é uma organização da junta de freguesia em colaboração com a Associação de Melhoramentos de Mouriscas e dos “Mouriscos - Associação de Motards”. Os lucros revertem para a realização de uma obra que a população com cerca de 1800 habitantes vai escolher. O desejo da presidente e do secretário é arranjar um espaço próprio para a realização da festa mas a decisão é sempre conjunta. A festa realiza-se no recinto da escola do primeiro ciclo, frequentada por 60 crianças. Teresa dos Santos desliga o telefone para confessar a O MIRANTE que a festa “dá muito trabalho” e só com muito boa vontade e com muito voluntariado se continua a realizar”. São à volta de 50 voluntários com as mais variadas funções. “Alguns tiram férias de propósito para ajudarem mas cada vez é mais difícil arranjar pessoas disponíveis. “Se deixássemos de fazer a feira a população ficaria muito desiludida”. “Na semana antes da festa, começamos a trabalhar às 07h00 e acabamos muitas vezes às 05h00, são quase 24 horas, mas vale a pena o esforço”, afirma com orgulho a presidente que está sempre presente em todas as actividades de preparação dos festejos. Na mostra gastronómica, que se realiza há 23 anos, há sempre um dia dedicado ao peixe do rio. Na terra existem alguns pescadores profissionais a quem a junta compra o peixe, que agora já não vem do Tejo por causa da poluição e da falta de peixe. “É uma tristeza, conseguiram destruir o rio. Os pescadores agora viraram-se para o Guadiana e para o Rio Zêzere e é lá que se têm desenrascado”, diz com alguma tristeza Teresa Santos.Uma freguesia com 35 quilómetros quadradosMouriscas é uma freguesia com uma área de cerca 35 quilómetros quadrados e cerca de 1800 habitantes. Situa-se na margem direita do rio Tejo com o qual sempre teve uma forte ligação. O rio serviu outrora como a grande via de comunicação para fazer escoar os seus produtos. Na terra produz-se azeite e figo. O nome de Mouriscas resulta, segundo a lenda, da palavra Mouro. Chamava-se aos mouros convertidos ao cristianismo - mouriscos. Diz-se que a designação desta localidade deriva de um conjunto de núcleos populacionais que se foram formando. Há também quem conte que foi este local o “sítio onde dois soldados cristãos abusaram da fraqueza de duas donzelas mouras”.
A presidente de junta que trabalha 20 horas em nome da festa de Mouriscas

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...