28º Aniversário | 18-11-2015 11:47

“Ainda quero sentir orgulho em ser cidadão europeu”

Fale-me da sua vida de empresário e da forma como chegou a este negócio? Este negócio foi herdado após o falecimento do meu pai, há cerca de três anos e meio. Como todas as empresas familiares a sua gestão e estratégia assenta muito na pessoa que a lidera. Quando esta pessoa desaparece fica-se numa posição muito vulnerável e quase à deriva. São momentos difíceis em que parece que tudo vai desabar. Só temos dois caminhos: ou deixamos desabar com fortes probabilidade de ficarmos soterrados ou arregaçamos as mangas e tentamos evitar o desabamento. Seguimos o segundo caminho e até agora penso que foi a decisão correcta, mas obriga a muitos sacrifícios e a falta de confiança que se vive de uma forma generalizada não nos permite sermos optimistas tanto quanto gostaríamos.A família ajuda e é parte importante da estratégia empresarial? A família é fundamental em tudo na minha vida. A estabilidade familiar e o apoio de quem nos é próximo é essencial ao equilíbrio. Só desta forma conseguimos ter a clareza necessária na tomada de decisões. Claro que nem todas são correctas mas no momento que as tomamos a nossa convicção é de que são.Como classifica os recursos humanos disponíveis no mercado? Nesta área em concreto existe escassez. Com a crise, muitos profissionais emigraram e outros abandonaram a profissão. Ser carpinteiro não é uma profissão fácil, exige esforço, dedicação e muito empenho. Hoje em dia as pessoas querem algo mais imediato, algo que se aprenda em pouco tempo.Está preparado para tudo na sua vida de empresário? Depois de algumas provações que passamos na vida, acho que acabamos por ficar preparados, não direi para tudo mas para quase tudo.Comente a situação actual do país onde vive e da sua região em particular. A situação do país infelizmente é aquela que todos conhecemos e que todos directamente sofremos na pele. Sacrifícios e mais sacrifícios sem perspectivas de melhorias a curto prazo. Uma falta de confiança que não nos permite correr riscos. Concretamente, na minha região, a crise actual só não se fez sentir de forma mais acentuada porque, e esta é uma opinião muito particular, a nossa agricultura atravessa um momento, não direi bom mas, não tão mau quanto as outras áreas económicas.Durante quanto tempo é capaz de guardar um segredo? Não sou bom a guardar segredos. Normalmente falo sempre com alguém em quem confio.Qual o seu prato preferido de bacalhau? Bacalhau à lagareiro.Sente que seria capaz de ser um bom primeiro-ministro? Não sei se seria um bom primeiro-ministro mas com certeza seria um primeiro-ministro diferente dos que temos visto actualmente. Sou mais pelo consenso, pela união, pela estabilidade. E o que vemos na política actual tem muito pouco de bom senso. Vale tudo pelo poder. As boas ideias de hoje são más amanhã e vice-versa, não existe um caminho não existe estratégia.Quais as qualidades que mais aprecia numa pessoa? Honestidade, sinceridade, altruísmo e capacidade de trabalho.Gostaria de viver numa cidade sem semáforos nem sinais de trânsito? Estive muito recentemente numa grande cidade onde existem semáforos e sinais de trânsito, mas onde ninguém os respeita. Uma cidade com 7,5 milhões de habitantes onde o trânsito é constante seja de dia seja de noite. A conclusão que tirei é a de que o caos funciona. Claro que tudo isto é muito cultural e por cá seria impensável, pois somos muito pouco tolerantes uns com os outros. Mas respondendo à sua pergunta, e olhando um bocadinho a esta realidade que vivi recentemente e à nossa realidade, acho que prefiro uma cidade com semáforos e sinais de trânsito.Tem médico de família? Não.Quem lhe contava histórias quando era criança? A minha avó materna.Deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer? É um ditado que ouvia muitas vezes da minha avó e dos meus pais e com o passar dos anos aprendi a dar-lhes razão.Qual a tradição que nunca podemos deixar morrer? A tradição familiar. Cada vez tornamo-nos mais egoístas e descuramos as relações familiares. O ensino do fandango devia ser obrigatório nas escolas ribatejanas? É importante mantermos as tradições mas penso que a escola deve ter outro papel. Este tipo de tradições deverá ser assegurado por outro tipo de instituições, nomeadamente associações recreativas e culturais.Quem gostaria de ser se não fosse quem é? Gostaria de ser alguém que não existe e que infelizmente nunca vai existir. Alguém que pudesse mudar o mundo e que fosse capaz de acabar com as guerras e que conseguisse unir as pessoas. Em pleno século XXI, e depois de tantas conquistas, continuamos a assistir a verdadeiras barbáries que nos deviam envergonhar a todos.A instalação de câmaras de vídeo vigilância é uma boa maneira de combater a criminalidade? Infelizmente tenho de concordar que sim. Por vezes as medidas drásticas são necessárias para fazer face ao crime. E para mim essa é uma medida drástica na medida em que nos retira alguma privacidade, mas acho que é um mal necessário.Alguma vez pediu o livro de reclamações? Sim já, uma ou duas vezes. Uma delas num casino algarvio em que nitidamente existia fraude no talão de conta emitido. O valor total não correspondia à soma das parcelas, quando alertei para a situação foi-me dado novo talão com a soma correcta mas o nome da empresa já era diferente do nome que emitiu o primeiro talão.Ler jornais é saber mais? Sem dúvida, claro que uns são mais informativos que outros.Sendo o preço médio de mil litros de água da rede um euro e meio podemos dizer que a água está cara? Acho que mais do que cara houve foi na realidade uma mudança de paradigma em relação ao fornecimento deste tipo de bem. Estávamos habituados a não pagar ou a pagar muito pouco por este tipo de bem. Com a passagem da exploração para empresas municipais o aumento foi elevado e daí a sensação que passou a ser um bem caro. Acho que os aumentos deveriam ter sido efectuados de forma mais progressiva.Alguma vez sentiu orgulho em ser cidadão europeu? Ainda quero sentir orgulho em ser cidadão europeu, mas muitas vezes interrogo-me se estamos todos de boa fé neste caminho que é a Europa unificada. E as dúvidas cada vez são mais.Qual é o seu maior defeito? Deixar muita coisa para a última hora. Mas estou a tentar melhorar.Qual a promessa que fez a si próprio mais vezes no início de cada ano e que vai continuar a fazer porque ainda não conseguiu cumpri-la? Trabalhar menos e dedicar mais tempo a mim próprio e à minha família.Alguma vez deu sangue? Sim, sou dador de sangue embora não o faça com a regularidade desejada.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo