28º Aniversário | 18-11-2015 11:24

“Sinto arrepios quando vejo pessoas a pagar promessas de joelhos em Fátima”

Gostaria de viver numa cidade sem semáforos nem sinais de trânsito? Não, já vivi e não gostei.Gosta de uma boa discussão? Sim, uma boa discussão enriquece-nos sempre mais.Ler jornais é saber mais? Sim, claro. É uma forma de estarmos mais informados.Quais as qualidades que mais aprecia numa pessoa? Honestidade e simpatia.De quantas horas de sono precisa para acordar bem disposto? De pelo menos 7 ou 8 horas.Em sua casa já se faz a separação do lixo? Sim.Tem a profissão que gostaria de ter? Sim tenho.O que sente quando vê pessoas a pagar promessas de joelhos em Fátima? Sinto arrepios quando vejo pessoas a pagar promessas de joelhos em Fátima.Sente-se livre? Sinto.Quantos verdadeiros amigos acha que tem? Tenho alguns. A instalação de câmaras de vídeo vigilância é uma boa maneira de combater a criminalidade? É uma das formas, mas com certeza haverá mais.Lembra-se da última vez que usou a bicicleta como meio de transporte? Não, mas já foi há mais de 40 anos.Quais as tradições que nunca podemos deixar morrer? O fado e o fandango.O respeitinho é muito bonito? Sim, conseguimos ter logo uma ideia da pessoa.A beleza é fundamental? A beleza é importante.O Facebook e as outras redes sociais melhoraram a sua vida? Sim, passei a ter mais informação e mais facilidade em passar informação sobre mim.Gosta de ir votar? Sim, é um dever enquanto cidadão.Há alguma coisa pela qual ainda valha a pena lutar até à morte se necessário for? Sim, lutar pela saúde.Durante quanto tempo é capaz de guardar um segredo? Durante toda a vida.Alguma vez deu sangue? Sim, muitas vezes.Ir comprar roupa ou calçado dá-lhe prazer? Sim, quando acompanhado pela família.Se vir alguém deitar lixo para o chão diz-lhe alguma coisa? Sim, não tolero tal coisa.Qual o seu prato preferido de bacalhau?Bacalhau assado na brasa.Sabe algum refrão de uma cantiga do Quim Barreiros? O bacalhau quer alho.Gosta de grandes reuniões familiares? Sim, bastante. É uma forma de não perdermos o contacto e de convivermos.Alguma vez assistiu a uma tourada ao vivo? Sim, várias vezes.Tem médico de família? Não.“A situação actual não é boa e a burocracia só atrapalha a resolução de certas situações”Como começou a sua vida de empresário? Após o 25 de Abril de 74 fiquei desempregado e uma vez que faltava pouco tempo para ingressar na vida militar fui trabalhando em diversas empresas ligadas ao ramo automóvel em regime de part-time e depois fui cumprir o serviço militar. Quando terminei o serviço militar decidi abrir o meu próprio negócio. Comecei com uma oficina pequena de pintura de automóveis que foi evoluindo até hoje.A família ajuda? Sim, a família é o elemento mais importante para mim e neste caso uma grande força e ajuda no negócio.Como é que classifica os recursos humanos disponíveis no mercado? Os recursos humanos disponíveis no mercado hoje em dia estão no bom caminho. Estamos perante uma geração mais desenvolvida, com um nível de formação académica maior e com uma maior capacidade de ultrapassar desafios.Está preparado para tudo na sua vida de empresário? Sim, estou. Todos os dias sou surpreendido com novos desafios.Comente a situação actual do país onde vive e da sua região em particular. Neste momento a situação política não é a melhor mas temos que a enfrentar conforme ela é. Só assim poderemos vencer. No que diz respeito à cidade de Santarém constato que a mesma parou. Temos o centro histórico completamente “morto”. São ruas cheias de lojas vazias. Outro exemplo concreto é a nossa zona industrial; basta verificar o número de empresas fechadas. E para complicar esta situação temos a burocracia a atrapalhar a rápida resolução de certas situações.   

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo