uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Doze ribatejanos com muita ambição nos Mundiais de trampolins

Doze ribatejanos com muita ambição nos Mundiais de trampolins

Comitiva que vai estar na Dinamarca espera regressar com medalhas na bagagem

Treinador diz que se trata de heróis que têm de ultrapassar muitos obstáculos no seu quotidiano para encararem com seriedade e ambição a modalidade. “O desrespeito pela prática de alto nível é muito elevado”, diz Carlos Matias apontando o dedo às universidades que não facilitam a vida aos jovens atletas.

Edição de 25.11.2015 | Desporto
São 12 os ginastas do distrito de Santarém que vão marcar presença nas competições mundiais de trampolins que começam esta quinta-feira, 26 de Novembro. No Campeonato do Mundo de absolutos, que decorre os dias 26 e 29, vão estar Bruno Nobre (Clube Futebol Estevense) e as gémeas Ana e Andreia Robalo (Clube de Trampolins de Salvaterra). Do mesmo clube estará também a atleta brasileira Ingrid Simão, que está em Portugal desde Fevereiro. De destacar também as presenças dos ginastas olímpicos Ana Rente e Diogo Ganchinho, naturais do distrito mas que competem pelo Lisboa Ginásio Clube.Em Dezembro, entre os dias 3 e 5, decorre a Competição Mundial por Grupos de Idades, destinada aos mais jovens. Os atletas presentes serão Lucas Santos, Henrique Moreira, Ana Gomes e Ana Ferreira (todos do Clube de Trampolins de Salvaterra) e ainda Gonçalo Faro (Gimno Clube de Santarém), Maria Barba (Ateneu Artístico Cartaxense) e André Graça (Ginásio Clube de Tomar).Ana Gomes, por exemplo, vai à Dinamarca com uma missão muito concreta: defender o título mundial de trampolim sincronizado que conquistou no ano passado, ao lado da colega e amiga Mariana Carvalho, do Grupo Sportivo de Carcavelos. “Gostava de repetir o feito. É sempre difícil mas vou lá para tentar e acho que é possível”, conta. A ginasta de 17 anos competirá também em trampolim individual, que considera ser “um desafio maior” e no qual o objectivo é chegar à final. Ana Gomes contou também qual o segredo para ser campeã do mundo: “É treinar todos os dias e ter uma boa relação com a minha parceira. Trabalho muito bem com ela e somos muito amigas. Mas basicamente é tudo à base do trabalho”.De toda a comitiva portuguesa, o mais velho é Bruno Nobre, de 35 anos, que vai participar no seu 10º Mundial. Assume que não estará a 100 por cento devido a uma ruptura na coxa mas nem por isso deixa de ter ambições. “O objectivo é sempre entrar nos oito finalistas. Entrando lá, chegar às medalhas é fácil, desde que não se façam asneiras”, afirma. Na qualidade de mais velho do grupo, Bruno Nobre é o conselheiro dos mais jovens: “Não o faço por obrigação, faço com prazer. Digo-lhes para aproveitarem ao máximo, para aprenderem com os adversários e para correrem atrás dos objectivos com muito treino e muita dedicação”.Ginastas que são heróisO treinador responsável em Odense será Carlos Matias, que é também técnico do Clube de Futebol Estevense e do Clube de Trampolins de Salvaterra. Em relação a objectivos, o treinador diz que são diversos conforme as especialidades (trampolim individual, trampolim sincronizado, duplo mini-trampolim e tumbling) mas deixa uma garantia: “Temos objectivos de pódio em todas as modalidades e em todos os escalões”. Referindo-se aos atletas, Carlos Matias diz que “são heróis” e explica porquê: “Tivemos ginastas que fazem parte do projecto olímpico que tiveram de interromper o seu estágio de preparação para o Campeonato do Mundo porque nas suas faculdades não adiaram os testes. O desrespeito pela prática de alto nível é muito elevado”. O treinador referiu-se também aos atletas que trabalham, que diz fazerem um esforço heróico: “A Estela (Ana Robalo), e outros, vão treinar logo de manhã às 9h00 porque depois têm de apanhar o autocarro para ir trabalhar para Lisboa. E depois chegam de Lisboa e ainda vêm treinar à noite. O Bruno Nobre trabalha por turnos nos Bombeiros Sapadores de Lisboa. Faz turnos de 12 horas. Não estamos a falar de ginastas, estamos a falar de heróis”, conclui.
Doze ribatejanos com muita ambição nos Mundiais de trampolins

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...