uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Biblioteca Salgueiro Maia na Ribeira de Santarém renascida

Biblioteca Salgueiro Maia na Ribeira de Santarém renascida

Na cerimónia que assinalou a nova fase da vida desse equipamento cultural falou-se dessa localidade ribeirinha, das suas potencialidades e problemas.

Edição de 25.11.2015 | Sociedade
A Biblioteca Salgueiro Maia, na Ribeira de Santarém, renasceu na sexta-feira, 20 de Novembro, para uma nova etapa da sua existência em que se pretende dar-lhe mais dinâmica e fruição. Além de sala de estudo e serviço de Internet, a biblioteca, propriedade da União de Freguesias da Cidade de Santarém, celebrou um protocolo com o Centro Paroquial Interparoquial e a Câmara de Santarém, de modo a desenvolver-se ali a iniciativa “Canto do conto”.“Querer uma Ribeira viva é querer que as pessoas convivam sem muros e os livros cumprem essa função”, referiu o presidente da União de Freguesias da Cidade de Santarém, Carlos Marçal, promotor da iniciativa “A Ribeira com Vida”. O autarca salientou no final da sessão que as flores azuis, brancas e vermelhas presentes na mesa eram uma homenagem às vítimas do atentado de Paris, França, no dia 13 de Novembro.A inauguração da nova fase da biblioteca contou com uma conferência onde o mote foi a Ribeira de Santarém. O professor e historiador Martinho Vicente Rodrigues salientou como os reis D. João II e Filipe I tinham uma enorme paixão pela Ribeira de Santarém e pelas margens do Tejo. “Nesta ribeira, tudo chegava e tudo partia”, referiu, acrescentando que teima em lhe chamar sempre a “grande babilónia de Santarém pela sua grandeza de um passado tão extraordinário”. O orador concluiu a intervenção dando grande ênfase à chegada do comboio a Santarém, em 1861. “A partir daqui a Ribeira nunca mais seria a mesma”, admitiu.“Há um longo caminho a ser percorrido”O presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves, salientou a “história fabulosa” da Ribeira de Santarém, lamentando ser a freguesia do concelho que mais população perdeu. “Hoje há muitas pessoas da Ribeira que não são naturais da Ribeira”, afirmou.O autarca informou que alguns locais da Ribeira serão melhorados, tais como o campo de futebol “um ponto de encontro das gentes da Ribeira”, assim como a Igreja de Santa Iria, que deverá ser recuperada com a ajuda de fundos comunitários para que “não se perca definitivamente este património da diocese de Santarém”.Após algumas críticas por parte de alguns populares presentes sobre a degradação da Ribeira, Ricardo Gonçalves respondeu que realmente “há um longo caminho a ser percorrido, em que tudo depende não só da câmara, mas de todos nós. Temos de dar as mãos para que algo seja feito”.Também presente esteve a esposa de Salgueiro Maia, Natércia Maia, que ofereceu à biblioteca o livro “Capitão de Abril”.
Biblioteca Salgueiro Maia na Ribeira de Santarém renascida

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...