uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
“Gosto de pilotar o meu avião e costumo ir almoçar a Espanha ou França”

“Gosto de pilotar o meu avião e costumo ir almoçar a Espanha ou França”

Adalberto Moreira Cadete, gerente da Serralharia AMC em Salvaterra de Magos

Adalberto Moreira Cadete sonhava ser piloto e conseguiu cumprir o seu sonho embora apenas exerça a actividade nos tempos livres. Profissionalmente dedicou-se a outro ramo de actividade. Abriu uma serralharia em seu nome em 1984 e é na empresa que passa a maior parte do tempo. Entra ao serviço às sete da manhã e ao fim do dia, depois de um intervalo para fazer ginástica e jantar, volta às instalações, que ficam junto à sua casa. Muitas vezes até vai de pijama. Foi convidado para a política mas recusou. Considera que um dos factores do seu sucesso pessoal e profissional foi o facto de ter casado com a mulher que casou.

Edição de 25.11.2015 | Três Dimensões
Quero trabalhar até morrer mas gosto de fazer mais coisas além de trabalhar. Levanto-me todos os dias às 06h30 e estou na empresa às 07h00, incluindo Sábados e Domingos. Da minha casa à empresa são 60 metros. À tarde saio um bocadinho para fazer a minha ginástica, tomo banho e a seguir ao jantar volto. Geralmente estou na empresa até à meia-noite. Às vezes até estou de pijama. Gosto de me envolver e de estar por dentro de tudo o que se passa na empresa. Espero que os meus seguidores, que são a minha filha e o meu genro, que neste momento já são os meus braços direitos, lhe dêem seguimento. Gosto imenso de voar. Nos tempos livres gosto de dar uma voltinha de avião com a minha esposa. Comecei a voar em 1990 e já tenho duas mil horas de voo. De vez em quando vou a França ou Espanha almoçar e vou muitas vezes a Lagos comer um peixe grelhado. Demoro cerca de 55 minutos a chegar lá. No inverno não vamos muito longe porque o tempo é instável. Tenho o avião numa pista privada a dois quilómetros da minha casa. Quando era criança sonhava ser piloto mas o meu pai não tinha dinheiro para isso. Acabei por tirar a licença com trinta anos. Nessa altura até poderia ter ido para TAP porque havia falta de pilotos mas acabei por investir tudo na empresa. Ainda me convidaram para pilotar aviões de curas agrícolas mas achei que era muito perigoso. Fui convidado para a política mas recusei. É uma questão de princípio. Em tudo o que me meto gosto de fazer bem e na política nem sempre as coisas estão nas nossas mãos. Também não me agrada o mundo da política. Há alguns políticos que dizem que sim sabendo que não vão cumprir e isso não me agrada.Posso não ser um grande homem mas tal como acontece com os grandes homens tenho o apoio de uma grande mulher. Tenho a certeza que sem ela ao meu lado estes anos todos as coisas não me tinham corrido tão bem. Quando abri a serralharia o meu primeiro trabalho foi para a Caixa Geral de Depósitos de Salvaterra de Magos. Os bancos tinham todos um problema com as portas porque eram abertas e fechadas centenas de vezes por dia. Desenvolvemos uma porta e tivemos tanto sucesso que fomos contratados pelo então Banco Pinto e Sotto Maior.Hugo Figueiredo
“Gosto de pilotar o meu avião e costumo ir almoçar a Espanha ou França”

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...