uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Pescadores queimam barco para simbolizar fim da pesca no Tejo devido à poluição

Golegã, Azinhaga, Barquinha e Mação com representação em Vila Velha de Ródão
Edição de 24.02.2016 | Sociedade
Um grupo de duas dezenas de pessoas, entre as quais pescadores de locais como Golegã, Azinhaga, Vila Nova da Barquinha, Ortiga (Mação) e Vila Velha de Ródão, queimou no domingo, 21 de Fevereiro, um barco, junto ao cais de Vila Velha de Ródão, num gesto que pretendeu simbolizar o fim da actividade piscatória no rio Tejo.“Queimámos um barco porque ninguém consegue sobreviver com a actividade piscatória” no rio Tejo, disse à agência Lusa, o membro do Movimento de Pescadores Pelo Tejo, Mário Costa.Este responsável sublinhou que, há alguns anos, havia cerca de mil pescadores que viviam da faina no rio Tejo mas por causa da poluição, esse número foi diminuindo e hoje estima-se que apenas existam noventa pescadores na região. No local, os pescadores colocaram várias faixas alusivas ao protesto, entre as quais, “Acabem com esta merda”, “Não à poluição no rio Tejo e seus afluentes” e “Por um Tejo vivo, não à poluição”.Mário Costa disse ainda que “a luta vai continuar” e adiantou que se a poluição continuar isso será interpretado como um sinal de conivência com os poluidores “ou uma grande incompetência” do Estado.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...