uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Vila Franca de Xira vai entregar medalha de mérito cultural a Leonor Teles

Vila Franca de Xira vai entregar medalha de mérito cultural a Leonor Teles

Presidente do município disponibilizou-se para apoiar o novo trabalho da cineasta

Jovem de Vialonga venceu o Urso de Ouro no Festival de Berlim com um filme sobre a discriminação sobre a comunidade cigana.

Edição de 02.03.2016 | Cultura e Lazer
O presidente da Câmara de Vila Franca de Xira, Alberto Mesquita (PS), diz que foi “um orgulho” para a cidade ter visto a jovem cineasta Leonor Teles, natural do concelho, a vencer o Urso de Ouro no Festival de Cinema de Berlim e anunciou, na última reunião camarária, que vai propor ao executivo que lhe seja entregue a medalha de mérito cultural municipal.“Vimos com enorme satisfação e orgulho para o município a entrega do Urso de Ouro, já a felicitei pessoalmente e vou propor a entrega da medalha de mérito como reconhecimento do talento que tem e da dedicação com que se entregou ao projecto. A entrega deste prémio constitui para todos um motivo de orgulho e felicidade”, frisou. O autarca mostrou-se também disponível para apoiar “no que for possível” a rodagem do novo filme da cineasta, que vai ter a cidade de Vila Franca de Xira como pano de fundo. Recorde-se que Leonor Teles é a mais jovem realizadora de sempre a vencer o Urso de Ouro no Festival de Cinema de Berlim na categoria de curtas-metragens. O filme “Balada de um Batráquio” conquistou o júri com uma história sobre a xenofobia que atinge a comunidade cigana. A surpresa na hora da vitória foi tal que Leonor Teles nem teve palavras para usar no discurso, confessando não saber como um filme “parvo” e “tosco” sobre sapos à porta das lojas (que muita gente ainda pensa poder afastar os ciganos) pudera vencer num dos mais prestigiados festivais de cinema. Filha de pai cigano que já faleceu, Leonor Teles resolveu ir à descoberta das suas raízes quando realizou a sua primeira curta-metragem premiada. Diz que se o pai não tivesse rompido com a tradição cigana, hoje muito provavelmente já estava casada, já tinha filhos e não tinha um curso superior. “O meu pai nunca se integrou totalmente na comunidade cigana e nunca gostou das tradições inflexíveis e retrógradas”, contou em entrevista a O MIRANTE publicada em Setembro de 2013.Cresceu e vive em Vila Franca de Xira e o modo de vida de Leonor foi sempre diferente do de uma jovem cigana. “O crescimento de um jovem na cultura cigana é árduo, porque é limitado. É difícil para um cigano arranjar emprego fora da comunidade”, salientava a jovem realizadora.
Vila Franca de Xira vai entregar medalha de mérito cultural a Leonor Teles

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...