uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Oposição contra pagamento de TV por cabo no Espaço Sénior de Azambuja

Vereadores consideram que se está a abrir um precedente que pode levar a que outras entidades reclamem idêntico privilégio. Proposta foi retirada mas deverá voltar em próxima reunião do executivo.

Edição de 13.04.2016 | Sociedade
Foi retirada a proposta de instalação de televisão por cabo no Espaço Sénior de Azambuja que previa a aquisição, pela Câmara de Azambuja, de serviços de televisão por cabo pelo prazo de dois anos num valor total 995,77 euros (IVA não incluído). A medida não avançou porque os dois vereadores da coligação “Pelo futuro da nossa terra”, Maria João Canilho e António Jorge Lopes, levantaram algumas questões e solicitaram ao presidente do município o contrato de arrendamento do espaço, que ainda não está assinado, embora o Espaço Sénior já tenha sido inaugurado em Março.Antes da inauguração dessa valência, a 19 de Março, tinha chegado à câmara uma proposta de ratificação do arrendamento do espaço que propunha o subarrendamento comercial do mesmo. Na opinião de António Jorge Lopes isso só poderia significar que o executivo queria tornar aquele espaço público num espaço comercial, o que considerou errado atendendo aos fins a que se propõe.Atendendo aos pedidos dos vereadores da coligação PSD/CDS/MPT/PPM, o presidente da câmara Luís de Sousa (PS) retirou a proposta para que a contrato de arrendamento possa ser analisado pelo vereadores.A proposta acendeu o debate em reunião do executivo da Câmara de Azambuja. Para o vereador António Jorge Lopes, se o município pagasse a televisão por cabo no Espaço Sénior estaria a abrir um precedente. “O que é necessário para cada um de nós ter TV cabo paga em casa?”, perguntou afirmando que os princípios da proposta de TV por cabo paga são errados e que podem levar a mais problemas para o município. António Jorge Lopes deu o exemplo das tertúlias e adegas da Feira de Maio que, após o conhecimento dessa medida, poderiam solicitar à câmara condições idênticas. O vereador disse ainda que o município já paga a renda, a luz e a água do Espaço Sénior de Azambuja e não precisa de pagar um serviço de televisão por cabo. “Há que encontrar outras soluções para ocupar a terceira idade”, reforçou. O vereador da CDU, David Mendes, também deixou a pergunta se a TDT não serve para os mais idosos.Em resposta, o presidente Luís Sousa (PS) classificou o tema como “banal”, acrescentando que a proposta inclui o pacote mínimo de televisão mais um canal dedicado às corridas de touros com o pagamento a ser repartido anualmente. Luís Sousa disse ainda que o Espaço Sénior de Azambuja é diferente das tertúlias, que apenas acontecem uma vez ao ano e que já têm apoios, sendo que em muitas delas não é possível entrar por serem de particulares. O presidente afirmou que a proposta que veio à câmara serve todos. “O Espaço Sénior é um espaço público e que qualquer um pode ir lá e servir-se, jogar cartas e usufruí-lo”, sublinhou.Jorge Lopes, depois de ouvir a resposta do presidente, propôs que se verificasse a possibilidade do contrato ser de âmbito geral e extensível a outros espaços públicos, como câmara e bibliotecas, para redução de custos. Todavia, a proposta foi retirada e será agora analisado o contrato de arrendamento do Espaço Sénior de Azambuja.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...