uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Nuno Ventura

Nuno Ventura

Bento e Delgado, Comércio de Estores, Vidros e Molduras, 37 anos, Vila Franca de Xira

“O que mais me preocupa é o futuro. Gostava de ver uma reestruturação das casas antigas em Vila Franca de Xira. É importante restaurar o património para dar outra vida à cidade”* * *“Claro que gosto de boa comida, mas é um veneno e dou logo em engordar. Gosto muito de cabrito assado no forno, porco no espeto, sarrabulho”* * *“Se tiver possibilidade de estacionar o carro junto ao local onde me dirijo é isso que faço. Mas quando não posso, deixo o carro longe e ando a pé. Na rua do meu estabelecimento comercial deveria existir um lugar para cargas e descargas”

Edição de 20.04.2016 | Agora falo eu
Pede factura quando bebe um café?Se for só beber café não peço e acredito que muitas pessoas não o façam. Normalmente peço factura das refeições, por exemplo.O que faz falta em Vila Franca de Xira?Na minha opinião deveriam ser organizados mais eventos, para além dos festejos tradicionais, para trazer movimento e pessoas. A cidade está no caminho certo para um futuro próspero? Acho que sim. Mas deveria existir mais investimento pois os comerciantes ficariam a ganhar. É ainda importante a reabilitação urbana para dar vida e cor à cidade. Participa em tertúlias? Habitualmente não costumo participar. Pertenço ao grupo de forcados amadores de Alenquer. Ainda é possível acreditar nas pessoas? Em algumas é possível acreditar, mas não em todas. Há quem não cumpra o que promete e há as que dizem uma coisa e depois fazem outra.Quem muito fala pouco acerta? É um velho ditado em que acredito. É por isso que falo pouco. Gosta da cozinha tradicional portuguesa? Claro que gosto de boa comida, mas é um veneno e dou logo em engordar. Gosto muito de cabrito assado no forno, porco no espeto, sarrabulho. Quando não está a trabalhar o que gosta mais de fazer? Gosto muito de estar com os amigos, brincar com os touros e fazer desporto. O que é que lhe causa mais preocupação nos tempos que correm? O futuro. O que mais me preocupa é o futuro. Gostava de ver uma reestruturação das casas antigas em Vila Franca de Xira. É importante restaurar o património para dar outra vida à cidade.É daquelas pessoas que gosta de estacionar o automóvel à porta de todos os locais onde vai? Claro que sim, se tiver possibilidade é isso que faço. Mas quando não posso deixo o carro longe e ando a pé. Na rua do meu estabelecimento comercial deveria existir um lugar para cargas e descargas. É mais fácil ser patrão ou empregado? Tenho as duas experiências. Para ser patrão é necessário muita exigência, paciência, saber ouvir... e existem mais encargos do que quando se é empregado. A crise afectou-o muito? Peguei no negócio apenas há cerca de um ano e ainda não notei a crise. Daqui para a frente é que posso ver como vão correr as coisas. Conseguia viver sem telemóvel? Não conseguiria, porque o telemóvel é uma ferramenta de trabalho. Dá muito jeito para tratar de negócios. Custa-lhe levantar de manhã para trabalhar? Não custa, já é uma rotina acordar cedo. Às 6h30 já estou acordado. Gostaria de viver numa cidade sem semáforos nem sinais de trânsito? Era impossível viver numa cidade assim. Ninguém se entendia. É necessário que existam regras.Pega toiros nas esperas de Vila Franca de Xira? Não costumo pegar toiros nas esperas mas apenas no grupo de forcados. Isso não significa de que de vez em quando não participe numas pequenas brincadeiras. É homem de estar no café com os amigos ou em casa a ver a novela com a mulher? Quando estou em casa não costumo ver novelas, não tenho tempo. Em casa é para dormir mas gosto de estar no café com os amigos. Passa o dia a ralhar com os empregados? Eu não ralho. Só chamo a atenção quando é necessário. Qual o objecto que nunca fica em casa? O objecto que não fica em casa, como é óbvio, é o telemóvel. O que lhe dá mais orgulho? O meu filho de 14 anos. Qual a profissão que era incapaz de exercer? Não tenho problemas em fazer qualquer tipo de trabalho. Não tenho medo de trabalhar e faço de tudo. Já cheguei a vender na feira.
Nuno Ventura

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...