uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Viaturas dos Centros de Saúde de Vila Franca de Xira estão velhas e sem condições

Viaturas dos Centros de Saúde de Vila Franca de Xira estão velhas e sem condições

Dos seis automóveis existentes no concelho três são demasiado antigos

Problema arrasta-se no tempo e não há quem o resolva. Só a carolice dos funcionários do agrupamento de centros de saúde vai permitindo dar o apoio domiciliário aos utentes.

Edição de 20.04.2016 | Sociedade
Das seis viaturas existentes nos Centros de Saúde de Vila Franca de Xira, que servem para apoiar ao domicílio os utentes do concelho, três estão velhas e obsoletas, têm mais de 15 anos, apresentam uma quilometragem em alguns casos superior a 200 mil quilómetros e têm problemas mecânicos frequentes. Os carros estão, segundo alguns funcionários, literalmente a cair de maduros e só com a carolice de quem trabalha nas unidades de saúde vai sendo possível continuar a apoiar ao domicílio todas as pessoas que precisam e que não podem deslocar-se. Sabe O MIRANTE que muitas vezes os carros estão avariados e são os funcionários que, nas suas viaturas pessoais, vão assegurar o serviço. Estes carros servem para fazer de tudo um pouco, desde transporte de pessoal que vai fazer tratamentos a quem está em casa até levar medicamentos ou refeições. “Das viaturas que temos três estão velhas demais até para ir ao centro de Lisboa [há uma proibição das viaturas anteriores a 2000 de circular em várias artérias do centro da capital]. Nem à sede da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) conseguimos ir. O nosso parque automóvel está muito desactualizado”, explica Paulo Cunha, enfermeiro coordenador da Unidade de Cuidados na Comunidade de Vila Franca de Xira. Praticamente todos os meses os carros estão a sofrer reparações de centenas de euros, uma despesa que onera as contas públicas e não resolve os problemas dos funcionários e utentes. Quem ali trabalha sabe que, de um momento para o outro, pode ficar empanado. “As viaturas não são nem em número nem em qualidade suficientes para um concelho com 140 mil habitantes. Simplesmente não são suficientes. É por muita carolice nossa que vamos conseguindo dar resposta a todas as situações, o agrupamento faz o possível, não há vez em que não peça reforço que ele não tente ser dado. Mas há que admitir que o parque automóvel que temos é muito mau. Um reforço de viaturas faria toda a diferença”, lamenta o responsável. As viaturas ainda em bom estado são duas Renault Kangoo, actualmente estacionadas em Alhandra, que foram entregues em 2010 no tempo da ex-ministra da Saúde, Ana Jorge.O MIRANTE contactou a ARSLVT para obter mais esclarecimentos sobre esta matéria mas aquela entidade limitou-se a confirmar a informação. Por proposta da Coligação Novo Rumo, no último orçamento municipal, foi deliberada a alocação de uma verba para a câmara doar este ano, ao Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Estuário do Tejo, uma nova viatura para colmatar os problemas que têm sido sentidos. Uma doação que ainda não se concretizou. Esta viatura, sendo uma oferta da câmara, não vai obrigar ao abate de duas viaturas, como teria de acontecer caso fosse uma aquisição dos serviços do ACES ou da ARSLVT. Abate que, só por si, pioraria ainda mais a situação.
Viaturas dos Centros de Saúde de Vila Franca de Xira estão velhas e sem condições

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...