uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Terapia ao Quadrado - Centro Terapêutico em Torres Novas

Terapia ao Quadrado - Centro Terapêutico em Torres Novas

Torres Novas abriu um centro terapêutico. A iniciativa é das terapeutas Catarina da Isabel, 28 anos, e Raquel Carvalho, de 29. São duas Terapeutas da Fala com raízes ribatejanas, uma nascida em Torres Novas e a outra em Santarém. Antigas colegas de universidade e amigas de longa data uniram-se para fundar uma empresa que já presta serviços nos distritos de Lisboa, Porto e Santarém. Agora dão mais um passo significativo nas suas vidas profissionais, abrindo uma clínica que oferece serviços diferentes dos existentes na região. O centro tem técnicos especializados em diversas áreas terapêuticas, assim como médicos contratados de outras áreas conforme as necessidades, como Pediatras, Neurologistas, Psiquiatras, entre outros.

Edição de 05.05.2016 | Especial Saúde

Porquê a aposta na Terapia ao Quadrado? Somos duas Terapeutas da Fala que estudaram juntas. Antes da Terapia ao Quadrado existir a nossa intervenção sempre foi feita em conjunto e sempre partilhámos casos. Somos colegas de faculdade, portanto, a Terapia ao Quadrado já existe desde essa altura. Esta parceria tem vindo a alargar a partilha, na medida em que a nossa equipa está cada vez maior.
Qual o público-alvo? As nossas portas estão abertas a quem precisar dos nossos serviços. O nosso centro é especializado na área do desenvolvimento, mas não trabalhamos apenas com crianças com necessidades educativas especiais. Trabalhamos com todos os indivíduos que, por algum motivo, precisem dos nossos serviços. Temos música para bebés, cursos de massagem para bebés, dança sénior, entre outros. Queremos criar uma interacção entre as várias faixas etárias.
O que é que vos levou a escolher estas terapias? Sempre gostámos de trabalhar com crianças, daí termos escolhido a Terapia da Fala. Não trabalhamos exclusivamente com crianças, no entanto, a nossa intervenção tem sido mais direccionada para a pediatria. Eu (Catarina), por exemplo, especializei-me em Musicoterapia, também por perceber que a música é uma forma por excelência de trabalhar com as crianças. Pretendemos implementar serviços pouco explorados nesta região, passando pela Musicoterapia e pela Sala Snoezelen, visando a integração sensorial. Além disso, também temos disponíveis os serviços de Psicomotricidade, Psicologia, Terapia Ocupacional, Fisioterapia, entre outros. Queremos, com estes serviços, dar uma resposta diferente do habitual e incluir a comunidade no nosso projecto, isto é, queremos incluir os pais, os cuidadores, os professores, os educadores e todos aqueles que pretendam saber mais acerca do nosso trabalho e dos nossos serviços. São todos muito bem-vindos.
Que balanço fazem desde que iniciaram as vossas vidas profissionais? O balanço é, sem dúvida, positivo. Têm sido anos de aprendizagem e de conhecimento. Durante o exercício da nossa actividade profissional constatámos, inúmeras vezes, que trabalhávamos com adultos e/ou crianças que necessitavam de outro tipo de apoios além da Terapia da Fala. Como tal, decidimos criar a Terapia ao Quadrado de modo a enriquecer a vida dos nossos pacientes com um vasto leque de terapias. Queremos chegar a todos, dando respostas individualizadas e especializadas.
Qual é o segredo para implementar uma empresa de sucesso? Gostar do que se faz, ter vocação e paixão. Para podermos dar respostas às pessoas que nos procuram temos que fazer as coisas também com o coração e com as emoções.
Já pensaram nas parcerias a nível local e regional? Temos algumas parcerias com escolas de Torres Novas, de Tomar e de Alcanena. Permitem-nos chegar a quem não tem disponibilidade financeira para pagar os nossos serviços.
O que distingue os vossos serviços? O nosso centro é especializado e apresenta uma equipa e um conjunto de respostas diferentes. Por exemplo, pretendemos que a Sala Snoezelen seja aberta ao público e que todos possam conhecê-la e usufruir das suas vantagens terapêuticas. Pretendemos também fazer parcerias com lares de idosos para, deste modo, desmistificar a ideia de que estes apoios só são válidos e benéficos para as crianças. Outro exemplo de distinção é a utilização da música de forma diferente para conseguirmos os nossos objectivos, através da musicoterapia. Podemos utilizar a música para trabalhar a parte motora, as áreas cognitivas, a linguagem... A música activa diversas áreas e é uma boa ferramenta para poder trabalhar várias dificuldades das crianças, dos adultos e dos idosos.
Os pacientes das grandes cidades são diferentes dos pacientes desta região? Não, de todo! As respostas existentes é que são diferentes. Esta região apresenta respostas, no entanto, estas não abrangem todas as necessidades, condicionando, assim, a atitude das pessoas. Quem procura informação encontra, mas não é fácil. A nossa missão é ajudar a resolver este problema. Aproveitamos para referir que, durante este mês, teremos um ciclo de formações gratuitas à sexta-feira à tarde, no âmbito das diferentes terapias que disponibilizamos, com o objectivo de esclarecermos as pessoas relativamente às diferentes respostas que podem existir para cada problema e, principalmente, de modo a informá-las.

Terapia ao Quadrado - Centro Terapêutico em Torres Novas

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...