uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Providência cautelar para evitar fecho da Caixa Agrícola na Carregueira

Providência cautelar para evitar fecho da Caixa Agrícola na Carregueira

Caixa da Chamusca também vai encerrar balcão da Azinhaga por razões economicistas

Edição de 02.11.2016 | Sociedade

Os associados da Caixa Agrícola da Chamusca na Carregueira, Chamusca, decidiram avançar para tribunal com uma providência cautelar para impedir o encerramento do balcão da localidade. A decisão foi tomada durante um plenário promovido pela junta de freguesia no final da tarde de quarta-feira, 26 de Outubro, no qual estiveram centena e meia de clientes e associados da caixa.
A população sente-se traída e lesada pela actual administração da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo da Chamusca por não informar os clientes e os associados imediatamente a seguir à decisão tomada pela administração. São muitos os clientes que ponderam fechar as suas contas naquela instituição bancária se o fecho se vier a confirmar.
O presidente da junta de freguesia, Joel Marques, avisou a população que o fecho das contas poderia vir a ser um motivo para a administração da caixa ter razão para o fecho da delegação na freguesia. O autarca explicou a O MIRANTE que a junta não pode tomar uma posição oficial por se tratar de o fecho de uma instituição privada. “Mas iremos apoiar os sócios e clientes nas diligências que forem necessárias”, adiantou.
Recorde-se que esta não é a única delegação da Caixa de Crédito Agrícola da Chamusca a encerrar. A delegação na Azinhaga, concelho da Golegã, também vai encerrar. O presidente da Azinhaga perdeu a paciência e já mandou cancelar a sua conta bancária pessoal e a da autarquia e aconselha a população a fazer o mesmo. O autarca da Azinhaga, Vítor Guia, diz não compreender esta decisão, atendendo a que, segundo os dados que possui, a delegação da Azinhaga ser uma das mais rentáveis. O autarca diz que a caixa fez tudo pela calada e que os trabalhadores foram surpreendidos com uma carta a informar a extinção dos postos de trabalho.
Joel Marques sublinha que na sua freguesia nem os associados da instituição bancária sabiam da situação. “Soubemos por conversas de café e fomos nós a ir ter com a administração para saber qual a situação onde nos disseram que havia 89 por cento de hipóteses de a delegação encerrar”, afirmou a O MIRANTE Joel Marques. O MIRANTE contactou por e-mail a administração da caixa que tem preferido remeter-se ao silêncio.

Providência cautelar para evitar fecho da Caixa Agrícola na Carregueira

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...