uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Tribunal de Santarém condena dois homens por assaltos a carrinhas de tabaco

Crimes foram praticados em 2008 em vários pontos do país designadamente na zona de Abrantes

Edição de 17.11.2016 | Sociedade

O Tribunal de Santarém condenou dois homens, cada um a sete anos de prisão efectiva, por assaltos a carrinhas de transporte de tabaco, num total de 50.000 euros, e ameaça com arma de fogo aos funcionários.
Numa nota publicada na sua página electrónica, a Procuradoria da Comarca de Santarém afirma que, na sequência da acusação do Ministério Público (MP), o tribunal deu como provado, em acórdão do dia 31 de Outubro, que, em Março e Maio de 2008, os homens, juntamente com outros dois cuja identidade não foi apurada, assaltaram carrinhas de transporte de tabaco. Para tal, acrescenta, manietaram com ameaça de uma arma de fogo os funcionários da sociedade distribuidora.
“Em três ocasiões distintas, e em vários pontos do país, foram subtraídas do interior das carrinhas grandes quantidades de volumes de cigarros e quantias em dinheiro que, todas somadas, atingem cerca de 50 mil euros”, refere a nota.
No mesmo processo foi ainda condenado um terceiro arguido pela prática de um crime de detenção de arma proibida e de um crime de tráfico de estupefacientes de menor gravidade, numa pena suspensa de 18 meses de prisão.
Numa busca domiciliária à residência deste arguido, realizada em Junho de 2008 em Camarate, concelho de Loures, foi apreendida uma carabina de repetição e munições para a qual não havia licença de uso e porte. Foram apreendidos mais de 30 gramas de canábis, que se destinava à venda a terceiros, acrescenta.
O tribunal decidiu também absolver um quarto arguido da prática de um crime de detenção de arma proibida, por não ter resultado provada a sua participação nos factos, afirma o MP, adiantando que a investigação decorreu na extinta comarca de Abrantes e que o acórdão condenatório ainda não transitou em julgado.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...