uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Câmaras da Lezíria querem criar empresa de distribuição de electricidade

Comunidade Intermunicipal encomendou estudo para ficar a gerir rede concessionada à EDP

Edição de 23.11.2016 | Economia

A Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT) encomendou um estudo de viabilidade para assumir a gestão da distribuição de electricidade na área dos 11 municípios associados. A ideia é assumir a gestão das linhas eléctricas e a distribuição da energia, que continuará a ser comercializada junto dos consumidores por empresas do sector, como a EDP.
O presidente da CIMLT e da Câmara de Almeirim, Pedro Ribeiro, revela a
O MIRANTE que ainda não existe um modelo definido sobre a forma de gestão das redes, apesar de esta situação ser um objectivo a médio prazo. O estudo, que vai custar cerca de 50 mil euros a pagar pelos municípios irá dar as opções mais viáveis. A ideia, para já, é a de se constituir uma empresa intermunicipal, de capitais unicamente públicos, idêntica à Águas do Ribatejo.
As linhas eléctricas existentes são propriedade das câmaras e a sua utilização e gestão estão concessionadas à EDP Distribuição, que paga uma renda trimestral aos municípios. O contrato de concessão termina em 2021 e a CIMLT está já a preparar o terreno para nessa altura poder assumir a gestão das redes, a sua manutenção e alargamento se for necessário.
Desta forma, prevê a comunidade intermunicipal, os custos pagos pelos consumidores (particulares e empresas) dos serviços de ligações à rede, actualmente cobrados pela EDP Distribuição, irão passar a ser pagos à empresa intermunicipal, com a perspectiva de que possam ser mais baratos. A Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo é constituída pelos municípios de Almeirim, Alpiarça, Azambuja, Benavente, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Golegã, Rio Maior, Salvaterra de Magos e Santarém.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...