uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Réplica perfeita de G3 encontrada no cemitério de Fazendas de Almeirim
Esta foi a réplica de uma G3 encontrada no cemitério de Fazendas de Almeirim

Réplica perfeita de G3 encontrada no cemitério de Fazendas de Almeirim

Arma de guerra em porcelana tem o tamanho e todos os pormenores de uma verdadeira

Edição de 30.11.2016 | Sociedade

A arma de guerra assustou quem caminhava num dos corredores entre campas no cemitério de Fazendas de Almeirim. As pessoas que iam colocar flores numa campa viram a arma no chão ficaram em choque e não lhe tocaram com medo, ligando de imediato para o posto da GNR de Almeirim a dar conta de que tinham encontrado uma espingarda no cemitério. Uma patrulha deslocou-se ao local e verificou que afinal se tratava de uma réplica que a uns metros passava bem por verdadeira.
Os militares da Guarda ao aproximarem-se também ficaram a pensar tratar-se de uma verdadeira espingarda automática de assalto G3, conhecida por equipar o Exército português e ter sido usada na guerra colonial. Mas ao agarrarem na espingarda viram logo que afinal era uma arma feita em porcelana com todos os pormenores de uma verdadeira, em que não faltava o carregador igualzinho ao verdadeiro, as patilhas de segurança e até os parafusos são da mesma dimensão e formato dos da verdadeira arma.
Quem fez a réplica deveria ter a arma verdadeira porque com tanta perfeição é quase impossível alguém a ter feito a partir de uma fotografia. Até porque o tamanho é exactamente o mesmo. O “fabricante” foi ao pormenor de pintar a G3 falsa com a cor da verdadeira e nem se esqueceu da mira. Os militares recolheram a “arma” e levaram-na para o posto mas não foi possível apurar quem a fez e se esta foi a mesma pessoa que a deixou no cemitério.
Com todos os pormenores a arma realmente assustava quem a visse. Inicialmente os militares, quando foram deslocados para o local, chegaram a pensar que se tratava de uma réplica tosca de uma arma que estivesse em cima de uma campa de algum ex-combatente do Ultramar, o que não seria caso para a retirar, já que se tratava de uma ornamentação. Se a réplica caísse em mãos erradas podia ser usada para cometer crimes. O caso ocorreu há cerca de cinco meses mas só agora se teve conhecimento do sucedido.

Réplica perfeita de G3 encontrada no cemitério de Fazendas de Almeirim

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...