uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Trancoso tem um pavilhão modelar mas não tem jovens para lhe dar uso

Trancoso tem um pavilhão modelar mas não tem jovens para lhe dar uso

Colectividade da aldeia próxima de Vila Franca de Xira é o coração e ponto de encontro da comunidade, cada vez mais envelhecida.

Edição de 12.01.2017 | Desporto

Quando havia mais crianças e jovens as condições para a prática desportiva na pequena aldeia de Trancoso de Baixo, em São João dos Montes, no concelho de Vila Franca de Xira, eram fraquinhas. Hoje, com um pavilhão desportivo de fazer inveja a muitos, com bancadas e um piso inaugurado há cerca de um ano onde se podem praticar vários desportos, a colectividade local não tem sangue novo que permita arrancar com a prática de algumas modalidades.
Actualmente o recinto é apenas usado pela patinagem artística do FC Alverca, que estabeleceu um protocolo com o clube Clube Recreativo e Desportivo de Trancoso para treinar ali, para além de jogos recreativos por parte da população da aldeia. Os planos para o futuro passam por reactivar o futsal e conseguir que o clube use a própria casa. Além dos constantes trabalhos no pavilhão, onde querem colocar painéis solares para a água quente.
Esta é a realidade com que se confronta o Clube Recreativo e Desportivo de Trancoso. Já lá vão os tempos em que praticavam futsal e patinagem artística federados. A colectividade celebra em Março 41 anos e tem uma direcção formada por pessoas que cresceram na zona. A aldeia tem pouco mais de 600 habitantes, a escola primária já fechou há 15 anos e as crianças e jovens estão em minoria. A colectividade é hoje o coração da terra e o seu café o ponto de encontro da comunidade.
Os jovens residentes na aldeia estudam maioritariamente em Arruda dos Vinhos. Têm apenas três carreiras de autocarros que passam por dentro da aldeia. Se não apanham um desses transportes fazem vários quilómetros a pé pela estrada nacional 10 até casa, um costume que dura desde o tempo em que Pedro Sousa, vice-presidente do clube, era miúdo.
“Agora é mais fácil de sair da aldeia, pois há mais carros, mas quando éramos jovens era o clube que proporcionava as deslocações para fora. No CRD Trancoso além das festas fazíamos desporto. Saíamos para fazer provas mas também para conviver. Havia o projecto Juventude em Movimento que nos levava a ver museus, ir à praia, piscina e outras actividades”, refere Sónia Reis, de 39 anos que sempre viveu ligada ao clube, pois o pai, Luís, é sócio fundador.
Falar de Trancoso sem falar no clube não faz sentido e apesar de a nível desportivo estar cingido ao BTT, continua a organizar várias excursões, onde levam autocarros cheios a visitar outros pontos do país. O pavilhão é a jóia da coroa. Uma jóia com pouco uso. A obra da Câmara de Vila Franca de Xira, avaliada em mais de 33 mil euros, chegou tarde a Trancoso. Quando se deu a inauguração do novo piso em madeira, que substituiu o de cimento, já o CRD Trancoso não tinha equipas para o usar.

BTT é a aposta desportiva
De momento o BTT é a grande aposta do Trancoso. No dia 26 de Fevereiro organizam uma prova onde se esperam mais de 230 participantes, com vários ciclistas federados, entre eles Pedro Pinheiro e Renato Ferreira. “A aposta no BTT tem corrido muito bem. Praticamos na serra, que tem trilhos que não fecham há mais de 3 anos. É normal ver pessoas a experimentar os nossos trilhos e Trancoso já é conhecida pelos caminhos de BTT”, refere Nélio Dionísio, membro da direcção.

Trancoso tem um pavilhão modelar mas não tem jovens para lhe dar uso

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...