uma parceria com o Jornal Expresso
25/03/2017
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Última homenagem a Joaquim Esperancinha
Ex-presidente do CHMT faleceu aos 69 anos de idade
Edição de 12.01.2017 | Sociedade

Foram muitos os que quiseram prestar a última homenagem ao ex-presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo, Joaquim Esperancinha, que faleceu, domingo, 8 de Janeiro, aos 69 anos de idade, vítima de doença oncológica. Nas cerimónias fúnebres que se realizaram na manhã de segunda-feira, 9 de Janeiro, na Igreja de São João Baptista, no Cartaxo, estiveram familiares, amigos e muitos dos que com ele trabalharam ao longo da sua vida. Na cerimónia religiosa o padre da paróquia do Cartaxo, Arlindo Jorge, disse que “na hora da morte não há muitas palavras. A grande palavra é obrigado”.
Para Nelson Silva, enfermeiro director do Centro Hospitalar do Médio Tejo, “foi um privilégio poder trabalhar com o engenheiro Esperancinha no Centro Hospitalar do Médio Tejo naquilo que foi uma transformação para a melhoria do atendimento ao utentes do Médio Tejo”, revelou. A directora do Serviço de Sangue do mesmo centro hospitalar, Leonor Gonçalves, explicou a O MIRANTE que o serviço de sangue tem uma dívida para com o ex-administrador e para com a sua equipa, porque foi com ele que, em 2004, que se iniciou a certificação do serviço. Para a directora Joaquim Esperancinha “era uma pessoa de fácil trato, simples e que tinha sempre a porta aberta para se poder falar com ele”.
“Foi um homem com um H grande”, diz António Lérias, administrador do British Hospital, que trabalhou muitos anos com Joaquim Esperancinha. “Para mim foi um grande amigo e uma pessoa de grande valor com um sentido de humanidade muito grande. Um grande profissional... Enfim uma pessoa cinco estrelas como se costuma dizer”. O presidente da Delegação de Santarém da Ordem dos Advogados, Ramiro Matos, também marcou presença e diz ser “uma grande perda, para todos aqueles que lhe éramos próximos e não só. Enquanto gestor foi um homem ímpar, de uma racionalidade acima da média e com uma grande inteligência e perspicácia. No campo pessoal um grande amigo”.
Joaquim Esperancinha, que faleceu vítima de doença oncológica, era desde Agosto de 2014 presidente do Conselho de Administração da Galilei Saúde, um operador de referência na prestação de serviços e cuidados de saúde diferenciados pela inovação, personalização e qualidade de serviço, assente numa rede própria de unidades prestadoras de cuidados de saúde. A Galilei Saúde detém, para além do British Hospital Lisbon XXI, o British Hospital Saldanha, a British Management Care, o IMI - Imagens Médicas Integradas e a CEDIMA - Centro de Imagiologia Médica.
O falecido era licenciado em Engenharia Electrotécnica, com um percurso profissional na área industrial, em que ocupou cargos de gestão nos grupos CUF, Quimigal e Uralita, e na área da saúde. Foi presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo, que inclui os hospitais de Abrantes, Tomar e Torres Novas, nos períodos de 2003-2005 e 2012-2014.

Comentários
Mais Notícias
    A carregar...