uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Morreu antigo administrador da Central de Cervejas
Alberto da Ponte

Morreu antigo administrador da Central de Cervejas

Alberto da Ponte considerava-se um lisboeta com alma de ribatejano

Edição de 26.01.2017 | Sociedade

Morreu no sábado, 21 de Janeiro, Alberto da Ponte que foi durante vários anos presidente da Central de Cervejas, com fábrica em Vialonga, concelho de Vila Franca de Xira. Alberto da Ponte faleceu vítima de cancro. Após a saída da Central de Cervejas foi presidente da RTP. Alberto da Ponte nasceu a 18 de Junho de 1952 em Lisboa. Em entrevista a O MIRANTE, publicada em 2009, confessava que quase todos os fins-de-semana fugia da capital, onde vivia com a mulher, Fátima Falcão da Ponte, e procurava a paisagem bucólica do Ribatejo para descansar.
Possuía uma casa perto da Golegã, de onde a família da sua esposa é oriunda. Dizia que tinha aprendido a gostar de vinho ribatejano com o amigo Veiga Maltez, antigo presidente da Câmara da Golegã e actual presidente da assembleia municipal. Casado há mais de 40 anos, conheceu Fátima Falcão da Ponte na Praia da Nazaré aos 16 anos. Era em Santarém que ia namorar com a esposa quando esta estudava no Colégio Andaluz, em 1973.
Aficionado da festa brava e sportinguista desde os dois anos, estudou no actual ISEG entre 1969 e 1974 e tirou o curso de gestão em Harvard. Viajar era um dos seus maiores prazeres, tendo vivido em Amesterdão, Bruxelas, Madrid, Malásia e Inglaterra.
O 25 de Abril surpreendeu-o nos Açores durante a lua-de-mel. “O meu pai acordou-me às seis da manhã, oito horas no continente, a dizer que tinha havido um golpe de Estado, mas que ficasse tranquilo porque parecia que estava tudo pacífico”, recordou na entrevista concedida a O MIRANTE
em 2009.
Foi militante da JSD e continuou sempre ligado aos ideais do partido tal como foi concebido por Francisco Sá Carneiro. Gostava de ler e ver futebol na televisão enquanto a mulher pintava. “Tenho muita pena que o dia tenha 24 horas e que tenha que dormir pelo menos seis horas. É uma pena não se aproveitar todo o tempo do mundo”, dizia Alberto da Ponte.

Morreu antigo administrador da Central de Cervejas

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...