uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Semaforização da ponte da Chamusca começa a ser testada em Fevereiro

Solução que vai entrar em funcionamento será accionada apenas em dias de fraca visibilidade

Edição de 26.01.2017 | Sociedade

A semaforização da ponte da Chamusca vai entrar em teste a partir de Fevereiro, com um sistema ainda manual e só em períodos de fraca visibilidade, prevendo-se a instalação de um sistema de semáforos inteligente no final do ano.
Paulo Queimado, presidente da Câmara Municipal da Chamusca, disse à Lusa que, numa reunião realizada no dia 18 de Janeiro com a Infraestruturas de Portugal (IP), foi decidido iniciar já uma fase de testes, com um sistema que apenas funcionará em dias de fraca visibilidade, enquanto decorre o processo para instalação da semaforização inteligente, inscrita no orçamento deste ano da IP.
Sublinhando que tanto os municípios da região, como a IP e as forças de segurança e protecção civil mantêm a necessidade de construção de uma nova ponte, Paulo Queimado afirmou que, até lá, a semaforização ajudará a minimizar os transtornos causados sempre que se cruzam no tabuleiro da ponte veículos pesados, obrigando à intervenção da GNR para fazer recuar o trânsito num dos sentidos.
O autarca afirmou que a solução que vai entrar em funcionamento no próximo mês será accionada apenas em dias de fraca visibilidade, já que, em situações normais, os condutores de pesados param à entrada da ponte quando se apercebem da presença de outro camião vindo em sentido contrário.
Até à instalação da semaforização inteligente, que acciona automaticamente consoante a tipologia de veículos que se aproximam da travessia, serão feitos testes aos tempos e aos fluxos gerados pela activação dos semáforos, afirmou. Paulo Queimado adiantou que a questão de uma nova travessia sobre o rio Tejo entre os concelhos da Chamusca e da Golegã, prevista no Plano Rodoviário Nacional, foi mal classificada nesse documento, ao ser inserida na variante ao Ecoparque do Relvão e não como estruturante para o desenvolvimento de toda a região.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...