uma parceria com o Jornal Expresso
24/06/2017
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
AVIAÇÃO. Há a expectativa que o pólo de Alverca do Museu do Ar possa abrir portas mais vezes durante a semana
Vila Franca de Xira quer pólo do Museu do Ar aberto mais vezes por semana
Executivo municipal quer renegociar protocolo de financiamento do espaço com a Força Aérea. Espaço pertence à Força Aérea Portuguesa e só abre portas mediante marcação prévia e às segundas-feiras, mas é a câmara que paga a despesa, que representa um encargo de quase 10 mil euros por ano.
Edição de 15.03.2017 | Sociedade

O executivo da Câmara de Vila Franca de Xira vai renegociar com a Força Aérea Portuguesa (FAP) o protocolo existente relativo aos dias de funcionamento do pólo de Alverca do Museu do Ar. A informação foi avançada na última semana pelo presidente do município, Alberto Mesquita (PS), que disse estar “esperançado” numa revisão do protocolo existente que possa ser “mais vantajoso” para o concelho e os visitantes daquele núcleo museológico.
“Há neste momento um novo director do pólo de Alverca do Museu do Ar e ele mostrou alguma abertura para se desenvolver um novo protocolo que contemple um maior número de dias para poder estar aberto para visitas e por isso vamos tentar chegar a um entendimento”, frisa o autarca.
Actualmente o pólo de Alverca do Museu do Ar só abre por marcação prévia e às segundas-feiras mas para isso o município tem de desembolsar anualmente uma verba a rondar os 10 mil euros, valor que serve para financiar o colaborador que tem de ir abrir a porta do museu.
“Espero verdadeiramente que estes 10 mil euros que pagamos todos os anos possam ser melhor rentabilizados porque francamente não é pouco dinheiro”, notou o autarca vilafranquense, que respondia ao vereador Rui Rei, da Coligação Novo Rumo. Rui Rei lamentou a falta de maior aposta na aeronáutica e confessou que, “se não fosse a OGMA - Indústria Aeronáutica estar radicada em Alverca, tudo o resto que hoje existe seria uma anedota”.
A cidade está historicamente ligada à aeronáutica mas o pólo do Museu do Ar que ali funciona só abre uma vez por semana e esteve até fechado no último Dia Internacional dos Museus. Uma situação que apanhou desprevenidas várias pessoas que queriam visitar aquele equipamento e que bateram com o nariz na porta. Já na ocasião Alberto Mesquita considerava que não era “compreensível” que aquele equipamento tivesse estado fechado num dia especialmente dedicado aos museus.
Em 2009, recorde-se, o museu “voou” para a base aérea de Sintra, bem como algum do seu espólio, perante a incapacidade dos autarcas locais em reverter a decisão da FAP. O facto de só abrir uma vez por semana fez cair a pique o número de visitantes. Os números actuais não foram disponibilizados pela Força Aérea mas em 2009 eram de 2500 visitantes, quando em 2006 aquele era o museu mais visitado do concelho, com mais de 12 500 visitantes.

Comentários
Mais Notícias
    A carregar...
    Capas
    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido