uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Um rancho que é uma família
TRADIÇÃO. Grupo foi distinguido pela câmara de Santarém

Um rancho que é uma família

Rancho Folclórico de Vila Nova do Coito, recentemente distinguido pela Câmara de Santarém, celebra 56 anos de vida no dia 16 de Abril com muito sangue novo.

Edição de 13.04.2017 | Cultura e Lazer

O que têm em comum reformados, estudantes, serralheiros, motoristas ou professores? À primeira vista nada. Têm actividades ou profissões como tantas outras. Mas existe um ponto em comum: pertencem ao Rancho Folclórico de Vila Nova do Coito, um dos seis mais antigos grupos do concelho de Santarém e que foi recentemente distinguido pela Câmara Municipal de Santarém.
O grupo é actualmente constituído por uma média de 45 elementos das mais diversas idades, contando com a parte musical, bailadores, bailadoras e coros. Uma média porque, de acordo com o presidente da direcção do Rancho Folclórico de Vila Nova do Coito e ensaiador, Vítor Gaspar, poderão ser mais devido ao aparecimento de cada vez mais pessoas a quererem aderir. Os elementos mais novos têm 14 anos, não contando com os miúdos pequenos que fazem apenas figuração. António Matias, com quase 80 anos, é o elemento mais velho e toca ferrinhos no grupo. É o único que pertence ao rancho desde a sua fundação.
“Este é um grupo muito familiar”, diz o presidente da direcção do Rancho Folclórico de Vila Nova do Coito e ensaiador. Vítor Gaspar justifica o sucesso e reconhecimento que o grupo tem tido ao longo do tempo: “É um grupo em que todos se ajudam e onde existe um seguimento familiar de pais, filhos e netos”.
A nível financeiro, a situação não é fácil. O presidente da direcção do Rancho Folclórico de Vila Nova do Coito confessa que, tal como os outros grupos, “temos grandes dificuldades, sobretudo porque não temos sequer uma sede”. A sobrevivência é garantida, sobretudo, através de projectos que apresentam à Câmara Municipal de Santarém. “Este ano fizemos três candidaturas, agora não sabemos se só temos direito a uma, duas, três ou a nenhuma”, diz.
As deslocações são um dos problemas que o grupo enfrenta, pois os custos ainda são elevados, apesar de terem adquirido um autocarro que compraram à Câmara de Constância num concurso público. “Dá-nos a vantagem de podermos ir fazer serviços com planos de orçamentos mais baratos que outros grupos”, afirma o dirigente.
Vítor Gaspar, à frente do Rancho Folclórico de Vila Nova do Coito há 38 anos, revela que, apesar do problemas de saúde que tem passado, não pretende deixar para já a direcção e, enquanto o corpo o deixar, vai continuar a dedicar-se ao grupo e a dançar quando for preciso.
Com 56 anos de vida a celebrar no dia 16 de Abril, e após ter recebido a Medalha de Mérito da Cidade de Santarém, o Rancho Folclórico de Vila Nova de Coito é embaixador na divulgação das tradições populares do bairro ribatejano, da freguesia de Almoster e do concelho no país e no estrangeiro, para além da promoção anual de diversas actividades socioculturais, como o Festival de Folclore “Da Aldeia à Cidade” (ver caixa).
O rancho foi fundado em 16 de Abril de 1961, data em que se apresentou pela primeira vez ao povo da sua terra, para no mês seguinte se exibir na Feira do Ribatejo, em Santarém. No total, já passaram pelo grupo 178 pessoas. Os trajes, domingueiros e de trabalho, representam as principais fainas agrícolas a que antigamente o povo se dedicava, desde a lavoura, à ceifa, à vindima e à apanha da azeitona. As danças, lentas e elegantes, e as músicas, suaves e harmoniosas, mostram o gosto do povo pelos fadinhos, pelos bailaricos, pelas modas a dois passos e pelos verde-gaios.

Vítor Gaspar

Festival de Folclore “Da Aldeia à Cidade” em Santarém a 24 de Junho

O Festival de Folclore “Da Aldeia à Cidade” vai para a sua sexta edição e, este ano, está marcado para dia 24 de Junho, no Largo do Seminário em Santarém. Os participantes já foram revelados pelo presidente da direcção do Rancho Folclórico de Vila Nova do Coito e ensaiador, Vítor Gaspar. Este ano, o festival conta com o Grupo Folclórico de Faro; o Grupo “Os Camponeses” de Santana do Mato, de Coruche; o Grupo Típico de Cadima, de Cantanhede; o Rancho Regional São Salvador da Folgosa, da Maia; e o Rancho Folclórico de Vila Nova do Coito, de Almoster.
“Da Aldeia à Cidade” é o nome atribuído ao festival de folclore organizado pelo Rancho Folclórico de Vila Nova do Coito que e teve a sua primeira edição em 2011, altura em que o grupo fez 50 anos.

Um rancho que é uma família

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...