uma parceria com o Jornal Expresso
28/05/2017
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
CNEMA finalmente ligado à rede pública de abastecimento de água
Após anos de insistência por parte da Águas de Santarém, a administração do parque de exposições, já em fim de ciclo, deu o braço a torcer e adaptou-se à legislação em vigor.
Edição de 11.05.2017 | Sociedade

Custou mas foi e o Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA) ligou-se finalmente à rede pública de abastecimento de água após alguns anos de braço de ferro com a empresa municipal Águas de Santarém. Contactada por O MIRANTE, a administradora da Águas de Santarém, Teresa Ferreira, revelou que a situação ficou normalizada nos primeiros dias deste mês de Maio com a ligação do ramal e a colocação do respectivo contador.
Recorde-se que o parque de exposições, onde decorre a Feira Nacional de Agricultura e outros eventos que atraem muito público, esteve durante anos a ser abastecido com água através de captações próprias. Pelo menos durante os últimos quatro anos a Águas de Santarém tentou persuadir a administração do CNEMA - sociedade controlada pela Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) e onde a Câmara de Santarém é a segunda maior accionista – a ligar o complexo à rede pública, como aliás impõe a legislação.
Note-se que, em 2013, a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) garantia a O MIRANTE que o CNEMA estava a violar a lei, referindo que “caso exista rede pública disponível não podem ser utilizadas captações próprias para consumo humano”. O que era o caso.
A Águas de Santarém foi alegando ao longo dos tempos que o CNEMA, por albergar nas suas instalações estabelecimentos abertos ao público como uma cafetaria e um restaurante, devia estar ligado à rede pública que garante água devidamente controlada. Finalmente essa argumentação foi atendida pela administração do parque de exposições no final do ciclo de João Machado como presidente, ele que deixou recentemente de ser presidente da CAP e, como tal, deverá também deixar a liderança do CNEMA.

A água faltou na feira do ano passado
Recorde-se que na edição de 2016 da Feira Nacional de Agricultura/Feira do Ribatejo o parque de exposições ficou sem abastecimento de água durante quase um dia depois de uma ruptura na rede de abastecimento de água ao recinto. Auto-tanques dos bombeiros tiveram de se deslocar ao local para fornecer água às casas de banho e para lavagens de loiça dos restaurantes e tasquinhas.
A situação provocou o descontentamento dos restaurantes e outros expositores que pagam pelos espaços na feira, até porque colocou em causa a saúde pública e, além disso, complicou também o abastecimento de água aos animais em exposição.
Na altura, o CNEMA colocou uma informação pouco visível no seu site na internet, pedindo desculpas pelo sucedido e reconhecendo que a situação ocorreu no dia com entradas gratuitas (uma segunda-feira), que é aquele em que os visitantes se “deslocaram em grande número à feira”. No entanto, a falta de água ocorreu logo ao início do dia quando a circulação no espaço da feira era ainda reduzida.

Comentários
Mais Notícias
    A carregar...
    Capas
    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido