uma parceria com o Jornal Expresso
20/08/2017
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Grande Corrida de O MIRANTE no Campo Pequeno a 29 de Junho

A Primeira Grande Corrida de O MIRANTE no Campo Pequeno pretende ser um marco na tauromaquia e é também isso que pensam os toureiros dois cavaleiros que vão estar em praça. A corrida tem ainda o atractivo da alternativa de Parreirita Cigano, o cavaleiro do Cartaxo, que vai ser apadrinhado por Manuel Jorge de Oliveira, que volta às arenas ao fim de muito tempo. O espectáculo está marcado para 29 de Junho, às 22h00, num momento importante para o Campo Pequeno e para o jornal, já que se assinalam os 30 anos de O MIRANTE e os 125 anos de inauguração da praça lisboeta. O cartel é ainda composto por João Maria Branco e a grande revelação em Espanha, o colombiano Jacobo Botero. Os toiros são da ganadaria Luís Rocha e as pegas estão a cargo de três grupos: Forcados do Ribatejo, Aposento da Chamusca e Amadores da Chamusca.

Edição de 25.05.2017 | Cultura e Lazer

“Estão reunidas as condições para uma corrida de êxito”

Para Rui Salvador “é um enorme prazer participar numa corrida de um jornal com a importância de O MIRANTE e numa praça que é uma das mais importantes a nível internacional e a catedral do toureio a cavalo”. O cavaleiro de Tomar espera uma boa temporada, no seguimento das épocas anteriores, e está preparado e com entusiasmo e dedicação para dar o melhor nas corridas em que vai participar, sendo que a de O MIRANTE será uma das que terá mais visibilidade.
Rui Salvador destaca que esta corrida tem características para ser um grande momento, destacando a alternativa de Parreirita Cigano, prémio Revelação do Ano da última temporada tauromáquica. “É um orgulho participar numa corrida em que um jovem tira a alternativa e dá-me prazer ver o crescimento de um toureiro”, refere o cavaleiro que este ano já fez quatro corridas de toiros, que lhe correram bem.
“Há uma grande expectativa em relação a como se vão comportar os cavalos”, diz Rui Salvador, salientando que espera boas prestações dos cavalos novos e está expectante em relação à prestação dos cavalos que já vêm de épocas anteriores. Este ano Rui Salvador tem a expectativa de fazer cerca de 30 corridas e além da corrida de O MIRANTE espera fazer pelo menos mais uma no Campo Pequeno.
No entender de Rui Salvador “estão reunidas as condições para uma corrida de êxito”, não só pelo cartel como também por tudo o que lhe está associado. “Uma corrida associada a O MIRANTE é ainda mais importante para qualquer artista porque as pessoas aderem a iniciativas às quais estão associados nomes, marcas fortes, como é o caso de O MIRANTE”, destaca o cavaleiro.

“Quero repetir o êxito de há dois anos no Campo Pequeno”

Ana Batista está com uma grande expectiva em relação à corrida de toiros de O MIRANTE no Campo Pequeno. A cavaleira de Salvaterra de Magos esteve no ano passado na mais importante praça do país onde teve aquele que considera o seu “maior êxito”. Esteve para tourear nesta praça no ano passado mas teve de cancelar a sua participação por ter ficado doente. Por isso está confiante que vai brilhar nesta corrida e está a trabalhar para que conquiste mais um grande êxito na sua carreira.
“Vai ser uma corrida bonita, até pelo facto de podermos ver de novo a tourear Manuel Jorge de Oliveira (que vai apadrinhar a alternativa de Parreirita Cigano), que está afastado há bastante tempo. É preciso dar muito valor a este regresso”, realça a cavaleira. Ana Batista já fez três corridas este ano e tem várias em perspectiva para a época, sublinhando que a sua preocupação é a qualidade e não a quantidade. “As corridas têm de ter qualidade para terem muita gente na praça”, reforça.
Ana Batista tem trabalhador todos os dias para fazer o melhor nesta temporada e está a experimentar novos cavalos. Prevê que venha a estrear alguns no decorrer da época tauromáquica, dizendo estar confiante. “Tenho uma boa quadra de cavalos. Os novos estão a portar-se bem nos treinos e os mais antigos dão-me garantias. São os cavalos que me fazem sonhar”, conta.
A cavaleira tauromáquica considera importante participar numa corrida do maior jornal regional do país. Porque, sublinha, O MIRANTE tem tido um papel importante na tauromaquia numa região com fortes tradições nesta área e com muitos aficionados”.

Em que medida esta parceria entre o Campo Pequeno e O MIRANTE ajuda a festa brava?

Ajuda na medida em que “O Mirante”, como meio de comunicação conceituado que é, difunde a mensagem de qualidade dos espectáculos tauromáquicos aqui promovidos; pela sua implantação, a sua edição em papel chega a um número muito elevado de leitores; pela sua presença na net, multiplica o impacto daquilo que difunde. Ora, fazendo o tema tauromáquico parte dos conteúdos editoriais do jornal, fácil é darmo-nos conta do valor que este tipo de parceria acrescenta, diria, para os dois parceiros: Pelo lado de O Mirante, pelo aumento da diversidade de conteúdos jornalísticos, com reflexo na informação e formação de aficionados. Pelo nosso lado, porque estamos mais próximos do aficionado “confirmado” e do potencial aficionado, trazendo assim mais público às nossas praças de toiros e divulgando uma das mais genuínas tradições portuguesas. É preciso que se fale e se divulgue a nossa cultura e a tauromaquia é um dos bastiões da cultura portuguesa, apesar da uma certa contestação, baseada sobretudo na ignorância e na arrogância. À ignorância e à arrogância dos anti-taurinos oponhamos a tolerância mas também a defesa firme da nossa forma de estar e de sentir a relação homem-campo-toiro-cavalo.
Rui Bento Vasques
Director de Actividades Tauromáquicas do Campo Pequeno

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...